Operação Lava Jato

Lula se contradiz e confirma diálogo com Duque sobre conta no exterior

Leandro Prazeres

Do UOL, em Brasília

Em seu depoimento à Justiça Federal na última quarta-feira (10), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) confirmou parte do que o ex-diretor de serviços da Petrobras Renato Duque disse ao juiz federal Sergio Moro. Na última sexta-feira (6), Duque relatou que se encontrou com Lula e que foi questionado pelo ex-presidente sobre se ele teria dinheiro em contas no exterior. Lula confirmou o encontro com Duque e disse que indagou sobre as contas do ex-diretor. As versões de ambos sobre a conversa, porém, são diferentes.

O petista, porém, entrou em contradição ao dizer em, um primeiro momento, que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto tinha uma relação de amizade com Duque e, logo em seguida, afirmar não saber se os dois eram amigos (leia essa parte do depoimento ao final desta reportagem). Vaccari já foi condenado por Moro e se encontra preso em Curitiba.

A conversa entre Duque e Lula sobre as contas no exterior foi apontada pelo ex-diretor como um dos elementos que o fez acreditar que o ex-presidente tinha conhecimento do esquema de desvio de recursos da Petrobras.

Em seu depoimento, Duque, que está preso e foi condenado a 53 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, disse que se encontrou com Lula três vezes, sendo que a última foi após a deflagração da Operação Lava Jato (em 2014) e que, nesse encontro, Lula perguntou sobre se ele teria contas fora do país, dando a entender que tinha conhecimento do esquema. 

"[No encontro] Ele [Lula] me perguntou se eu tinha uma conta na Suíça com recebimentos da empresa SBM (empresa holandesa que mantinha contratos com a Petrobras)", disse Duque, que acrescentou: "Eu falei não, não tenho dinheiro da SBM nenhum, nunca recebi dinheiro da SBM. Aí ele vira para mim e fala assim: 'Olha, e das sondas, tem alguma coisa?' E tinha, né, [mas] eu falei não, também não tem".

Duque disse que, ao ouvir que ele não tinha contas no exterior, Lula o orientou a tirar qualquer conta que ele tivesse no exterior de seu nome.

"[Lula disse] Olha, preste atenção no que vou te dizer: se tiver alguma coisa [no exterior] não pode ter, entendeu? Não pode ter nada no teu nome'. Eu entendi, mas o que eu ia fazer? Não tinha mais o que fazer. Aí ele falou que ia conversar com a Dilma, que ela estava preocupada com esse assunto e que ia tranquilizá-la", afirmou Duque.

Nesse ponto, as versões de Duque e Lula são diferentes. Questionado sobre as conversas que teria mantido com Duque, o ex-presidente confirmou o encontro com o ex-diretor, mas não foi questionado nem fez menções sobre tê-lo orientado a se livrar das contas.

"Tive uma vez no aeroporto de Congonhas. Se não me falha a memória, porque tinham vários boatos no jornal de corrupção e de contas no exterior. Eu pedi para o Vaccari, [já] que eu não tinha amizade com o Duque, trazer o Duque para conversar", afirmou o ex-presidente.

"A pergunta que eu fiz para o Duque foi simples: 'Tem matéria nos jornais, tem denúncias de que você tem dinheiro no exterior, está pegando da Petrobras'. Eu falei: 'Você tem conta no exterior?' Ele falou: 'Não tenho'. Eu falei: 'Acabou'. Se não tem, não mentiu para mim. Mentiu para ele mesmo", disse Lula.

Moro, então, questionou Lula sobre o que o levou a questionar Duque, e não outros ex-diretores da Petrobras, como Paulo Roberto Costa (Abastecimento). Lula disse que foi a ligação de Duque com o PT que fez com que ele questionasse o ex-diretor de serviços da estatal.

"O Duque tinha sido indicado pela bancada do PT. O PT indicou o Duque com outros partidos e eu penso que foi pra Casa Civil e cumpriu todo o ritual. Eu fiquei muito puto. E ele disse que não [tinha contas no exterior]", disse Lula.

Veja o que Duque e Lula disseram sobre o encontro

Moro questiona circunstâncias de encontro de Duque e Lula

As circunstâncias em torno do encontro de Lula e Renato Duque foram alvo de diversas perguntas feitas por Moro. Em seu depoimento, Duque afirmou que, após os três encontros que ele teve com o ex-presidente, ficou claro que o petista tinha conhecimento do esquema de corrupção implementado na Petrobras.

"Nessas três vezes ficou claro, muito claro para mim, que ele tinha pleno conhecimento de tudo, tinha o comando", disse Duque em depoimento a Moro.

O juiz questionou Lula sobre se o ex-presidente sabia a natureza do relacionamento entre Duque o Vaccari. Segundo Lula, foi Vaccari quem intermediou o encontro entre o ex-presidente e Duque.

Inicialmente, Lula diz que procurou Vaccari porque sabia que os dois mantinham uma relação de amizade. "Por que o Vaccari tinha mais relação de amizade com ele do que eu, que não tinha nenhuma", disse Lula.

Moro então o perguntou se ele sabia se Vaccari e Duque eram amigos. "O senhor tinha conhecimento da relação de amizade entre os dois?", indagou o juiz.

"Não sei se era relação de amizade. Liguei para o Vaccari e falei: 'Vaccari, você tem como pedir para o Duque pedir uma reunião aqui?' [Ele] Falou: 'Tenho'. E levou o Duque lá", disse Lula.

Veja abaixo a contradição encontrada por Moro ainda durante o interrogatório:

Moro: O senhor pode esclarecer por que procurou o senhor João Vaccari para procurar o Renato Duque?

Lula: Porque o Vaccari tinha mais relação de amizade com ele do que eu, que não tinha nenhuma. 

Moro: O senhor tinha conhecimento da relação de amizade entre os dois? 

Lula: Não sei se era relação de amizade. Liguei para o Vaccari e falei: 'Vaccari, você tem como pedir para o Duque pedir uma reunião aqui?' [Ele] falou: 'Tenho'. E levou o Duque lá. 

Moro: Salvo equívoco meu, eu perguntei se o senhor conhecia, sabia se eles tinham alguma relação, o senhor falou que não. Então, o senhor tinha conhecimento que ele tinha uma relação? 

Lula: Eu pedi para o Vaccari, se ele tinha como trazer o Duque. Ele disse que tinha. Isso não implica que ele tinha relação, implica que ele podia conhecer.

Cristiano Zanin Marins (advogado de Lula): A resposta anterior era da época do governo. São momentos diferentes que Vossa Excelência parece estar se referindo. 

Moro: Estou dando a oportunidade para ele esclarecer porque, aparentemente, tinha falado uma coisa e falou outra agora. O registro, que eram momentos diferentes. 

Lula: Só quero lembrar o seguinte, relação de amizade é uma coisa, e relação é outra. Eu posso, eu vou sair daqui dizendo conheci o doutor Moro, tenho relação com ele, na verdade não tenho. 

Moro: Sei, entendi. Mas o senhor, então, não sabia na época que o senhor João Vaccari tinha relação com o senhor Renato Duque? 

Lula: Eu sabia que ele tinha relação, não sabia que tinha relação de amizade. Quando eu disse para ele chamar o Duque é porque ele poderia ter o telefone do Duque, que eu não tinha. 

Moro: Que tipo de relação que o senhor tinha conhecimento que eles tinham? 

Lula: Ah, não sei, não sei. O Vaccari está preso, pode perguntar para o Vaccari. O Duque está preso, pode procurar o Duque. 

Moro: O senhor procurou o Vaccari para chegar ao Duque, pelo que o senhor disse. Fique tranquilo para esclarecer. 

Lula: Estou tranquilo, doutor. 

Moro: A questão é saber por que o senhor fez isso para o Vaccari para chegar ao Duque. O senhor tinha conhecimento de alguma relação deles? 

Lula: Porque o Vaccari conhecia o Duque, que eu não conhecia. Só isso. 

Moro: Isso o senhor tinha conhecimento? 

Lula: Que tipo de relação que eles tinham, eu não sei. 

Moro: O senhor ex-presidente tinha conhecimento que o João Vaccari conhecia? 

Lula: Tinha conhecimento. 

Moro: Que tipo de conhecimento o que senhor tinha? 

Lula: Conhecimento que o Vaccari conhecia o Duque. 

Moro: Só isso? 

Lula: Só isso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos