PUBLICIDADE
Topo

Demarcação deixará de ser 'ideológica e açodada', diz presidente da Funai

O delegado da Polícia Federal (PF) Marcelo Augusto Xavier da Silva, presidente da Funai - Funai/Ascom
O delegado da Polícia Federal (PF) Marcelo Augusto Xavier da Silva, presidente da Funai Imagem: Funai/Ascom

Do UOL, em São Paulo

27/11/2019 08h05

O presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Marcelo Augusto Xavier, disse que os critérios para demarcação de terras indígenas serão modificados porque, em sua avaliação, houve demarcações feitas de forma "ideológica e açodada".

"Não vai haver liberação açodada e ideológica. Mas onde houver direito (à demarcação), há direito", disse em entrevista ao jornal Valor Econômico.

Xavier garantiu que dará continuidade aos processos de demarcação, mas que agora os critérios serão "exclusivamente técnicos e científicos".

Escolhido com o aval da bancada ruralista, o delegado da Polícia Federal negou que esteja no cargo para atender aos interesses do setor. Xavier garante que seu principal objetivo à frente da Funai é "dar dignidade aos índios".

Além do maior rigor nas demarcações, ele diz que pretende incentivar as comunidades indígenas a produzirem em suas terras. "Hoje o protagonismo está na terra, não nos índios. Queremos incluir e dar dignidade a eles."

Ouça o podcast Baixo Clero com análises políticas de blogueiros do UOL.

Os podcasts do UOL estão disponíveis no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política