Topo

Bolsonaro se exime por participar de atos contra STF: "não coordeno nada"

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

01/06/2020 09h40Atualizada em 01/06/2020 16h35

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) minimizou hoje sua participação em atos antidemocráticos que, entre outras bandeiras, pedem o fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal) e do Congresso Nacional. O presidente disse que apenas prestigia quem o apoia e que não é responsável pela organização das manifestações.

Ontem, o presidente esteve em ato realizado na capital federal que o apoiava e que, entre outras medidas, pregava o fechamento do Supremo e intervenção militar.

Bolsonaro ainda deu uma indicação que seria melhor no próximo domingo evitar confrontos com possíveis manifestantes contrários depois que um apoiador disse "que é preciso acabar com esses caras de preto batendo na gente". Ontem, uma manifestação em São Paulo terminou em confusão depois de um encontro de grupos a favor e contra Bolsonaro na Avenida Paulista.

"Tão marcando domingo movimento né, deixa sozinho domingo, deixa sozinho. Não sou dono de grupo, não coordeno nada. Eu apenas compareço. Só vou prestigiar vocês que estão me apoiando. É um movimento limpo, pela democracia, pela lei, pela ordem. Eu apenas compareço, não conheço ninguém desses grupos. Já que marcaram, deixa eles domingo lá ", disse, em conversa transmitida por seu perfil no Facebook.

Em São Paulo, onde ocorreu um confronto intenso ontem entre indivíduos pró e contra o governo, já há um novo ato marcado para o próximo domingo (7). Um grupo intitulado "Mais Democracia" usou as redes sociais para convocar para o que chamou de "Ato Antifascista".

A concentração foi marcada para o Masp, na avenida Paulista, às 14h, mesmo lugar em que torcedores de organizadas do Corinthians e Palmeiras se reuniram ontem.

As mobilizações têm tido a participação de pessoas que se autodenominam "antifas" (abreviação de antifascistas), em geral vinculadas a torcidas organizadas de clubes de futebol.

Helicóptero e passeio a cavalo

Durante a manifestação em Brasília, alguns manifestantes carregavam faixas com os dizeres "abaixo a ditadura do STF" e "intervenção militar". Havia ainda uma bandeira que pedia "intervenção no STF". Nenhum desses, porém, apareceu em vídeo compartilhado pelo presidente, no qual ele andava de cavalo em meio a manifestantes.

Antes, Bolsonaro havia sobrevoado o local de helicóptero. Depois que pousou, o presidente percorreu o cercado onde se aglomeravam os manifestantes, contrariando as orientações de autoridades sanitárias, e ainda pegou uma criança no colo.

Bolsonaro ficou por cerca de 25 minutos no local e se dirigiu ao Palácio da Planalto, antes de retornar ao Palácio da Alvorada. A manifestação foi convocada por redes sociais e a concentração começou por volta das 10h. O presidente chegou por volta do meio-dia.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bolsonaro se exime por participar de atos contra STF: "não coordeno nada" - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL

Política