PUBLICIDADE
Topo

Política

Não tem como cassar Bolsonaro por uma página no Facebook, diz advogada

Do UOL*, em São Paulo

16/06/2020 14h23

A advogada Karina Kufa, que defende o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no processo de cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, afirmou hoje no UOL Entrevista que o fato que motiva o processo não é grave o suficiente para justificar a cassação.

"A ação, por si só, é esdrúxula. Mesmo que se provado, não pode se cassar um presidente com um fato que não é grave. A gente está falando aí de 57 milhões de eleitores [que votaram em Bolsonaro] e uma página no Facebook", afirmou a advogada em conversa com o colunista do UOL Josias de Souza.

Por ora, a ação que poderia retirar Bolsonaro da presidência está suspensa no TSE (Superior Tribunal de Justiça) e não há data para que ela seja retomada.

O processo investiga a invasão da página Mulheres Contra Bolsonaro no Facebbok, que aconteceu em 2018, durante as eleições que Bolsonaro saiu vitorioso.

Na ocasião, a página foi invadida por 24 horas, teve as administradoras excluídas e fez posts em favor do então candidato. Pouco depois, Bolsonaro compartilhou alguns desses posts em suas próprias redes sociais.

Recentemente, em entrevista à rádio Bandnews, o presidente afirmou que essa ação é uma tentativa de "esticar a corda". Kufa negou que essa fala de Bolsonaro seja uma ameaça à democracia.

"A Constituição é muito clara quanto à subordinação das Forças Armadas à Presidência da República. Não serve para ficar invadindo poder ou praticar golpe", declarou Kufa.

*Texto de Anaís Motta, Beatriz Sanz e Luís Adorno. Produção de Diego Henrique Carvalho.

Política