PUBLICIDADE
Topo

Política

Haddad se coloca como vítima, mas a vítima é Bolsonaro, diz advogada

Do UOL*, em São Paulo

16/06/2020 15h15

Karina Kufa, a advogada de Jair Bolsonaro (sem partido) na Justiça Eleitoral, afirmou hoje no UOL Entrevista que o ex-candidato a presidência Fernando Haddad (PT) não aceita a derrota nas eleições de 2018.

"Ele está inconformado que perdeu a eleição, se colocando como vítima, quando a vítima de verdade é Jair Bolsonaro, que não está conseguindo governar por causa desses ataques ridículos que estão sendo feitos", disse Kufa ao colunista Josias de Souza.

Os atos ao qual Kufa se referia são as manifestações em favor da democracia que têm acontecido nos últimos fins de semana no país.

"Nessas manifestações tinha lá uma faixa que pedia o quê? Ditadura proletariada. E aquela faixa é democrática?", questionou a advogada.

Kufa também criticou as torcidas organizadas que lideram a maioria desses protestos. "Grupos de torcidas organizadas, no passado, costumaram a praticar diversas violências", disse.

A advogada também falou sobre os grupos antifascistas que participam dos atos. "De antifascistas não têm nada. Declararam à TV que usariam a violência se preciso fosse. Eu não deixaria meu filho participar de uma manifestação sabendo que teria ali um possível confronto com organizações de futebol ou antifas", afirmou.

Segundo ela, Bolsonaro tem pedido a seus apoiadores que evitem participar de novas manifestações e que os pedidos de intervenção foram feitos por "infiltrados".

"O que acontece é que nessas manifestações acaba tendo meia dúzia de pessoas que acabam levando faixas infelizes pedindo o fechamento do Supremo, a volta da ditadura. Eu até me indago se essas pessoas são mesmo dos grupos de direita ou são infiltrados", alegou Kufa.

*Texto de Anaís Motta, Beatriz Sanz e Luís Adorno. Produção de Diego Henrique Carvalho.

Política