PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Bolsonaro quer André Mendonça ou Humberto Martins no STF, diz Flávio

Jair Bolsonaro deve fazer indicação para uma vaga no STF nos próximos meses - Alan Santos/Presidência da República/Divulgação
Jair Bolsonaro deve fazer indicação para uma vaga no STF nos próximos meses Imagem: Alan Santos/Presidência da República/Divulgação

Colaboração para o UOL

23/04/2021 08h33

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve escolher entre André Mendonça, advogado-geral da União, ou Humberto Martins, presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), para assumir o lugar de Marco Aurélio Mello no STF (Supremo Tribunal Federal). O ministro vai se aposentar em 5 de julho.

Em entrevista ao jornal O Globo, Flávio explicou que outros nomes que eram especulados, como o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o desembargador Willian Douglas foram deixados de lado.

Entre a família Bolsonaro, não há conclusão de quem é o melhor candidato para a vaga no STF. De acordo com o jornal O Globo, Martins é o preferido de Flávio por ter sido crítico da Operação Lava Jato. O presidente do STJ tem ganhado mais credibilidade com a CPI da Covid por ter apontado Renan Calheiros (MDB-AL) como relator.

O senador Flávio Bolsonaro explicou que a escolha é totalmente do presidente. "Os dois são capacitados, evangélicos, como quer meu pai, e seriam boas escolhas para o Supremo Tribunal Federal", completou.

Bolsonaro já prometeu que sua próxima nomeação seria "terrivelmente evangélica". Além de agradar os apoiadores, Mendonça teria conseguido apoio também da primeira-dama, Michelle, de acordo com o jornal O Globo. Se de fato for designado à vaga, o advogado-geral da União será sabatinado pelo Senado.

Plano de reeleição

Já planejando uma reeleição, Bolsonaro tem feito articulações para 2023. Com o nome de Aras fora da corrida para essa vaga, o presidente tem dito que colocaria o procurador-geral da República no STF na próxima oportunidade.

Além disso, quem for eleito presidente em 2022 terá que indicar dois ministros para o Supremo no primeiro semestre do mandato. Os designados ocuparão as vagas de Rosa Weber e Ricardo Lewandowski.

Política