PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Covas tem 'discreto sangramento residual' no estômago, diz boletim médico

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas - Secom
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas Imagem: Secom

Do UOL, em São Paulo

06/05/2021 17h32

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), está com um "discreto" sangramento no estômago. A informação consta no último boletim médico do prefeito, divulgado às 17h de hoje.

"Na quarta-feira, dia 05, ele foi submetido a novo exame de endoscopia digestiva alta que evidenciou discreto sangramento residual no estômago", diz o comunicado.

"Foi iniciado tratamento local com radioterapia para controle deste sangramento. O prefeito está recebendo todo suporte clínico necessário e seu quadro clínico é estável.", completa o texto, que informa ainda que não há previsão de alta.

Covas está internado no hospital Sírio Libanês, na capital paulista, desde o último domingo (2), data em que se licenciou da prefeitura para tratar um câncer que foi diagnosticado originalmente em 2019.

Histórico do prefeito

Bruno Covas foi diagnosticado em outubro de 2019 com um câncer na cárdia, a região de transição entre o esôfago e o estômago. Na ocasião, foram constatadas também uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

Ao longo de quatro meses, ele passou por oito ciclos de quimioterapia. Em cada sessão ele passava 30 horas recebendo a medicação. Em fevereiro do ano passado, os médicos avaliaram que o tratamento havia sido satisfatório, mas não suficiente e, por isso, ele começou a fazer imunoterapia.

No dia 17 de fevereiro deste ano, um nódulo no fígado foi detectado e a imunoterapia foi interrompida. Na ocasião, os médicos informaram que Covas faria quatro sessões de 48 horas de quimioterapia. No dia 16 de abril foi divulgado um boletim médico que informava que foram descobertos novos nódulos no fígado e ossos. O prefeito foi orientado a fazer novas sessões de quimioterapia e imunoterapia e ficou internado por 12 dias para tratar estes novos focos da doença.

Cerca de uma semana depois de receber alta, Covas voltou ao hospital para realizar exames após ter passado mal. Ele foi internado no domingo (2) e chegou a ser transferido para a UTI e intubado no início da semana. No dia 4, ele foi extubado e transferido para a unidade de terapia semi-intensiva.

Política