PUBLICIDADE
Topo

Política

Lula se casa pela terceira vez; primeiras celebrações foram mais modestas

Os primeiros casamentos de Lula tiveram comemorações mais modestas - Reprodução
Os primeiros casamentos de Lula tiveram comemorações mais modestas Imagem: Reprodução

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL

18/05/2022 04h00

Prestes a se casar novamente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de 76 anos, já oficializou união outras duas vezes.

A última esposa foi Marisa Letícia Lula da Silva, que morreu em 2017 por conta de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), enquanto a primeira companheira foi Maria de Lourdes da Silva, com quem ficou pouco mais de dois anos.

Nesta quarta-feira (18), o político se casa com a socióloga Rosângela da Silva, a Janja. A cerimônia ocorre às 19h, e terá cerca de 150 convidados —o local é um mistério, até mesmo para quem recebeu o convite que, em vez de endereço, tem um QRCode.

Primeiro casamento

O primeiro casamento de Lula foi com a tecelã Maria de Lourdes da Silva, em 25 de maio de 1969. Na época, a festa foi simples "com batatinha, pão, sanduíche, bolo e guaraná", segundo trecho de reportagem do jornal Hoje em Dia.

Em junho de 1971, Lourdes contraiu hepatite no oitavo mês de gravidez e precisou ser hospitalizada. Ela e o filho morreram durante uma cesárea de emergência, feita para tentar salvar a vida dos dois.

lula - Reprodução - Reprodução
O ex-presidente brasileiro Lula quando se casou com Maria de Lourdes; o registro é de 1969
Imagem: Reprodução

Lula disse que ela estava com anemia profunda e hepatite crônica e alegou negligência do hospital, segundo depoimento a Denise Paraná para a biografia autorizada "Lula, o Filho do Brasil".

"Ninguém me tira da cabeça que ela morreu por negligência da rede hospitalar do Brasil, por problemas de relaxamento médico", disse ele.

"Ela poderia ter sido melhor tratada. Morreu sem que houvesse nenhuma assistência para ela. Eu fui ao hospital e vi. Ela gritava, ela gritava, ela gritava. Não tinha um médico para atender, não tinha ninguém. Sinceramente, eu tenho muitas restrições a esses médicos que estavam no hospital. Hoje, eu tenho consciência de quanto um desgraçado de um pobre passa nos hospitais."

Em 1974, ele teve uma filha chamada Lurian com a enfermeira Miriam Cordeiro, sua namorada na época. Porém, os dois não se casaram.

lula - Reprodução - Reprodução
Lula registra em cartório o casamento com Marisa Letícia, em 1974
Imagem: Reprodução

Segundo casamento

Ainda em 1974, Lula se casou com Marisa Letícia Casa dos Santos, que na época ficou viúva porque seu marido foi assassinado a tiros em uma tentativa de assalto.

Na época, ela estava grávida de seu primeiro filho, Marcos, que foi adotado por Lula.

Marisa conheceu Lula, também viúvo, em 1973. Ele trabalhava no Serviço de Assistência Social do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, quando ela foi buscar um carimbo para recolher a sua pensão como viúva.

Os dois começaram a namorar e casaram-se menos de um ano depois, num cartório.

Marisa acompanhou Lula desde o início de sua vida política, durante as greves de operários no ABC, no fim dos anos 1970. Ele tornou-se presidente do sindicato um ano depois do casamento, em 1975.

Em 1º de janeiro de 2003, tornou-se primeira-dama. Lula concorreu à Presidência cinco vezes, em 1989, 1994, 1998, 2002 e 2006, mas ela só passou a aparecer mais em palanques na última campanha.

Nascida Marisa Letícia Casa, assumiu o sobrenome Silva ao se casar com o ex-presidente, e quando ele incorporou Lula à assinatura, ela também passou a assinar Marisa Letícia Lula da Silva.

Para ele, porém, ela sempre foi a "galega", apelido pelo qual a chamava desde que começaram a namorar, nos anos 1970.

Marisa costumava dizer que foi pai e mãe de seus filhos, a quem se dedicou enquanto o marido avançava na vida pública. Cuidava sozinha do apartamento e da família, que vivia em São Bernardo.

Durante os 30 anos que ficaram juntos, tiveram três filhos: Fábio Luís (1975), Sandro Luís (1979), e Luís Cláudio (1985).

Marisa morreu em fevereiro de 2017.

Política