Conteúdo publicado há 5 meses

Jordy ataca Moraes após ser alvo de buscas da PF: 'Nunca apoiei ato'

O deputado federal Carlos Jordy (PL) atacou o ministro Alexandre de Moraes após ser alvo de operação da PF.

O que aconteceu

Jordy diz que Moraes "se julga o dono do Brasil" e que persegue seus adversários políticos. "É inacreditável. Esse mandado do ministro Alexandre de Moraes é a constatação de que estamos vivendo uma ditadura".

Jordy é suspeito de liderar atos antidemocráticos que bloquearam estradas no Rio para contestar o resultado das eleições. A PF cumpriu mandado de busca e apreensão na casa dele e no gabinete em Brasília na manhã de hoje. Foi uma nova fase da Operação Lesa Pátria.

Ele negou qualquer participação nos atos golpistas e afirmou que a Lesa Pátria é uma "piada". Em vídeo publicado nas redes, Jordy diz que foi acordado às 6h "com um fuzil no rosto" enquanto dormia com a esposa e a filha.

A PF apreendeu celular e uma arma, disse o parlamentar. "Tentaram buscar outras coisas que pudessem me incriminar, mas não encontraram nada. Queriam dinheiro, eu tinha R$ 1 mil aqui em casa. Eu realmente não sabia o que era [a operação] até ter acesso a todas as notícias".

Bolsonarista, Jordy é líder da oposição ao governo Lula na Câmara dos Deputados. Ele está em seu segundo mandato em Brasília. Antes, foi vereador em Niterói (RJ).

Em momento algum do 8 de Janeiro incitei ou falei para as pessoas que aquilo era correto, pelo contrário. Em momento algum estive nos quartéis quando estavam acontecendo acampamentos, nunca apoiei qualquer tipo de ato anterior ou depois do 8 de Janeiro. Não há nada que possa ser colocado contra mim ou que justifique essa busca e apreensão.
Deputado Carlos Jordy

Deixe seu comentário

Só para assinantes