Alimentação

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/saude/album/2013/10/03/conheca-alguns-mitos-e-verdades-sobre-azia.htm
  • totalImagens: 18
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20131003191045
    • Alimentação [12442]; Mitos e Verdades [61562]; Saúde [11180];
Fotos

Comer muito causa azia. VERDADE: exagerar nas refeições não é nada bom para quem sofre de azia. Quanto maior o volume de alimentos ingeridos de uma vez, maior será o risco que o suco gástrico atinja o esôfago, já que estômago estará superlotado Thinkstock Mais

Leite ajuda a aliviar os sintomas da azia. PARCIALMENTE VERDADE: no momento da crise, beber leite, uma substância alcalina, tem o poder de tamponar o ácido e melhorar a azia. Em outras palavras, o leite é capaz de combater o efeito agressor do ácido. Mas apenas momentaneamente. "O uso de leite para esse fim deve ser evitado em grandes quantidades, pois a presença do cálcio no leite é um fator de aumento de produção de ácido pelo estômago", alerta o gastroenterologista Silvio Gabor Shutterstock Mais

Fumar pode causar azia. VERDADE: fumar aumenta o risco de sentir azia. "Isso porque é uma substância que funciona como irritante da mucosa gástrica e, portanto, aumenta a produção do ácido do estômago e as probabilidades de refluxo", aponta o gastroenterologista Silvio Gabor Thinkstock Mais

Consumir bebidas alcoólicas não piora a azia. MITO: o consumo de bebidas alcóolicas não é recomendado para quem sofre de azia. "O álcool atua relaxando a válvula que impede que o conteúdo do estômago suba para o esôfago. Assim, esta substância pode levar o indivíduo a ter azia", diz o gastroenterologista Drausio Jeferson de Morais, professor da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Thinkstock Mais

Comer muito chocolate pode engatilhar uma crise de azia. VERDADE: chocolate é um dos alimentos que devem ser evitados por quem sofre de azia. "O alimento pode deixar a alma mais leve, estimulando a produção de serotonina, mas este hormônio também trabalha para relaxar o esfíncter esofágico inferior, abrindo caminho para o ácido refluir para o esôfago", explica o gastroenterologista Silvio Gabor Thinkstock Mais

Elevar a cabeceira da cama ajuda a evitar a azia. PARCIALMENTE VERDADE: elevar a cabeceira da cama 15 ou 20 centímetros pode dificultar a subida de suco gástrico pelo esôfago. Mas isso é mais recomendado para portadores de Doença do Refluxo Gastroesofágico que têm episódios de sufocação noturna (ou seja, que acordam durante a noite com dificuldade de respirar devido à regurgitação do conteúdo gástrico). "Elevar a cabeceira da cama não é indicado para todo mundo que apresenta azia, até porque é desconfortável", diz Laercio Tenório Ribeiro, membro titular da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) Thinkstock Mais

Quem tem hérnia de hiato tem mais propensão a ter azia. VERDADE: "A presença desta alteração anatômica favorece o refluxo do conteúdo gástrico para o esôfago, facilitando, dessa maneira, a ocorrência de azia", explica o gastroenterologista Laercio Tenório Ribeiro, membro titular da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG). Mas isso não significa que todas as pessoas que têm azia têm hérnia de hiato, ou que quem tem hérnia de hiato sofra de crises de azia frequentemente Thinkstock Mais

Deitar após as refeições evita azia. MITO: apesar do sono que bate logo depois do almoço, quem sofre de azia deve evitar deitar-se após uma refeição. Fazer isso deixa o corpo em uma posição que facilita o refluxo dos ácidos digestivos que provocam a azia. "Isso aumenta a quantidade de ácido gástrico que vai para o esôfago e piora a azia", explica o gastroenterologista Silvio Gabor. Por isso é importante esperar duas horas ou mais após uma refeição para se deitar Thinkstock Mais

Uso de antiácidos melhora os sintomas da azia. VERDADE: uso de antiácidos ajuda a aliviar os sintomas da azia, neutralizando o ácido do estômago. No entanto, existem medicamentos mais efetivos. "O tratamento inicialmente é feito através de medicamentos que bloqueiam a acidez do estômago. Entre eles, os inibidores de bomba de prótons (medicação utilizada para diminuir a quantidade de ácido produzida) são os mais efetivos", afirma o gastroenterologista Drausio Jeferson de Morais, professor da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp Thinkstock Mais

Estresse agrava a azia. VERDADE: estresse não apenas pode agravar a sensação de azia, como também deflagrá-la. "Situações de estresse podem causar modificações funcionais (motoras, secretoras etc) no aparelho digestivo que podem favorecer o refluxo gastroesofagiano e, desta maneira, fazer surgir ou piorar a azia", diz o gastroenterologista Laercio Tenório Ribeiro Getty Images Mais

Ficar muito tempo sem comer evita azia. MITO: ficar muito tempo em jejum pode causar a sensação de queimação. Isso porque, quando o estômago está vazio, o ácido gástrico se acumula e pode refluir, irritando o final do esôfago Thinkstock Mais

Estar obeso ou acima do peso aumenta as chances de ter azia. VERDADE: "Pessoas com excesso de peso costumam sentir mais azia graças ao efeito mecânico que o aumento do volume abdominal exerce sobre o estômago", aponta o gastroenterologista Silvio Gabor. Essa pressão de fora para dentro do estômago faz com que seu conteúdo seja "empurrado" de volta para o esôfago Thinkstock Mais

Tomar café depois do almoço dá azia. VERDADE: não apenas depois do almoço. Cafeína em excesso pode deflagrar uma crise de azia. "A substância pode estimular a produção de ácido no estômago e a abertura do esfíncter esofágico inferior, causando a sensação de queimação", explica o gastroenterologista Silvio Gabor Thinkstock Mais

Fazer exercícios após as refeições ajuda a não ter azia. MITO: "Exercícios após almoço e jantar poderão também determinar refluxo com sintoma de azia", explica o gastroenterologista Drausio Jeferson de Morais, professor da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. Isso porque até duas horas após uma grande refeição, o estômago ainda acumula ácidos gástricos em maior quantidade e os movimentos podem fazer com que esses líquidos retornem em direção ao esôfago, causando a queimação Leandro Moraes/UOL Mais

Tomar muitos medicamentos pode causar azia. VERDADE: utilizar muitos medicamentos, ou muito frequentemente, pode causar ou piorar a azia. Além disso, existem alguns específicos que aumentam esse risco: "benzodiazepínicos (tranquilizantes como o diazepam, lorazepam, etc), teofilina (antiasmático), meperidina (analgésico opiácio), antagonistas dos canais de cálcio (anti-hipertensivos), agonistas beta-adrenérgicos (utilizados no tratamento da asma) podem deflagrar ou exacerbar a azia", aponta o gastroenterologista Laercio Tenório Ribeiro Thinkstock Mais

Comer um pedacinho de pão quando a azia aparecer ajuda a amenizar os sintomas. VERDADE: não só um pedacinho de pão, como qualquer alimento leve, pode ajudar a aliviar o sintoma de azia. "Isso porque essa atitude ajuda a combater a acidez no estômago", explica o gastroenterologista Silvio Gabor Thinkstock Mais

Fracionar as refeições ajuda a evitar a azia. VERDADE: o ideal para quem sente azia é fazer mais refeições ao dia, com menores quantidades de cada vez. "Dessa maneira, evita-se aumentar muito a pressão dentro do estômago, o que favorece o refluxo", explica o gastroenterologista Laercio Tenório Ribeiro Thinkstock Mais

Beber durante as refeições ajuda a evitar a azia. MITO: beber muito durante as refeições acaba diluindo o ácido gástrico e obrigando o estômago a produzi-lo em maior quantidade. Se a bebida for gaseificada, pior ainda: ela aumenta a pressão dentro do estômago, forçando os ácidos digestivos a seguirem no sentido do esôfago e causando a azia. Por isso é melhor maneirar Ed Alcock/The New York Time Mais

Conheça alguns mitos e verdades sobre azia

Mais álbuns de Ciência e Saúde x

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE UOL SAÚDE

UOL Cursos Online

Todos os cursos