Topo

Mistura errada de remédios faz crianças desenvolverem 'síndrome de lobisomem' na Espanha

As crianças afetadas devem se recuperar dentro de algumas semanas, segundo médicos - Science Photo Library
As crianças afetadas devem se recuperar dentro de algumas semanas, segundo médicos Imagem: Science Photo Library

28/08/2019 17h44

Pelo menos 17 casos de crescimento anormal de cabelos foram registrados na Espanha depois de erro na distribuição de medicamento para o estômago.

Várias crianças na Espanha registraram um crescimento anormal de cabelos depois de receber medicação incorreta, segundo autoridades locais. O crescimento anormal lembra a "síndrome de lobisomem", ou hipertricose.

Dezessete casos foram relatados nas regiões de Cantábria, Valência e Granada.

As crianças desenvolveram os sintomas após receberem remédios para uma doença estomacal. A mistura incluía um medicamento usado para tratar calvície, disseram autoridades reguladoras.

"A testa, as bochechas, os braços, as pernas e as mãos do meu filho estavam cobertas de pêlos ... foi muito assustador", disse uma mãe.

Uma investigação da agência reguladora de saúde espanhola, a Aemps, atribuiu o problema a uma fórmula receitada aos pais para tratar o refluxo gastroesofágico - um problema muscular que provoca refluxo ácido do estômago - em seus filhos pequenos.

Um medicamento que deveria conter omeprazol (um remédio para enjoo) na verdade continha minoxidil, um princípio ativo que estimula o crescimento do cabelo, disseram os reguladores.

Um relatório publicado no site da Aemps disse que o remédio foi distribuído por uma empresa farmacêutica na região de Málaga, na Espanha.

Os primeiros casos foram relatados em julho deste ano, e o produto foi retirado do mercado.

Hoje, o Ministério da Saúde da Espanha disse que um lote da fórmula de tratamento do cabelo havia sido rotulado incorretamente e se misturou com a medicação para o estômago devido a um "erro interno".

O centro de distribuição da empresa farmacêutica permanece fechado enquanto a investigação continua.

Espera-se que os sintomas das crianças melhorem dentro de algumas semanas à medida que o excesso de cabelo caia, disseram os pais.

'Pare de dar este remédio a ela'

Falando ao jornal espanhol El Mundo, uma jovem mãe, identificada apenas como Amaya, disse que entrou em pânico quando sua filha de 22 meses "começou a ver o cabelo crescer" no início deste ano.

Amaya imediatamente contatou um pediatra e explicou que ela estava dando à filha um xarope - supostamente de omeprazol - para um problema no estômago.

O pediatra, então, disse a ela para parar de dar o medicamento, mas "manter a embalagem na geladeira" para que pudesse ser coletada e analisada. Mais tarde, os investigadores confirmaram que o xarope continha minoxidil.

Outra criança, o menino Uriel, tinha apenas seis meses de idade quando cabelo espesso começou a crescer por todo o seu corpo, desenvolvendo "uma sobrancelha de adulto", disse a mãe, Angela Selles, ao El País.

"Foi muito assustador porque não sabíamos o que estava acontecendo com ele", disse ela. Uriel estava usando o mesmo xarope na época.

Dar ao bebê minoxidil criou uma aparência de hipertricose, também conhecida como "síndrome do lobisomem". Trata-se de uma doença rara que causa crescimento excessivo de pelos espessos sobre o corpo, geralmente em lugares incomuns.

Dez bebês foram afetados na Cantábria, no norte da Espanha, quatro na região sul da Andaluzia e três em Valência, no leste, segundo relatos da imprensa local.

Saúde