PUBLICIDADE
Topo

"Agradeço a Deus e aos que rezaram por mim", diz enfermeira curada do ebola

24.out.2014 - Curada do ebola, enfermeira Nina Pham conversa com jornalistas no Instituto Nacional de Saúde de Bethesda, Maryland, onde estava internada - Pablo Martinez Monsivais/AP
24.out.2014 - Curada do ebola, enfermeira Nina Pham conversa com jornalistas no Instituto Nacional de Saúde de Bethesda, Maryland, onde estava internada Imagem: Pablo Martinez Monsivais/AP

Do UOL, em São Paulo

24/10/2014 14h10Atualizada em 24/10/2014 15h40

A enfermeira americana Nina Pham, 26, que contraiu o ebola quando cuidava de um paciente liberiano no Texas, fez uma série de agradecimentos depois de declarado que ela estava curada do vírus. 

"Agradeço a Deus, minha família e meus amigos [pela cura]. Estou muito agradecida a todos que cuidaram de mim desde que eu fiquei doente até hoje", disse. "Estou feliz e me sinto abençoada", afirmou.

Ela falou a jornalistas nesta sexta-feira (24)  no Instituto Nacional de Saúde de Bethesda, Maryland, onde estava internada desde que foi transferida do Hospital Presbiteriano de Dallas, no Texas, na semana passada.

Segundo Anthony Fauci, médico do  NIH, foram realizados cinco testes, que apontam a presença do vírus no sangue, e todos deram negativo. 

Pham está "completamente livre do vírus ebola", disse.

“Eu estou no caminho de volta para a recuperação e reflito sobre quantos outros não tiveram tanta sorte. Eu acredito no poder da oração e sei que muitas pessoas ao redor do mundo rezaram por mim. Eu não sei como poderei agradecer suficientemente a todas as preces e as demonstrações de preocupação, esperança e amor”, disse a enfermeira.

Pham disse que precisará de privacidade após receber alta e voltar para Dallas.

“Peço que a minha privacidade e a da minha família seja respeitada no nosso retorno ao Texas, e para tentarmos ter uma vida normal com o meu cachorro”, disse.

O cachorro da enfermeira ficou em quarentena e essa semana seu teste para o ebola deu negativo.

Fauci, que cuidou da enfermeira, elogiou a "coragem" de Pham e disse que ela é "muito consciente de seu papel como enfermeira".

Além de Nina Pham, outra enfermeira do hospital de Dallas foi infectada ao cuidar do liberiano Thomas Eric Duncan, que morreu em consequência do vírus. Amber Vinson está internada no Hospital Emory, em Atlanta, onde recebe tratamento depois de também ser transferida. Sua família informou nesta quinta-feira (23) que ela está curada e que deve ter alta nos próximos dias.

(Com agências internacionais)

Saiba mais sobre ebola

  • O que é o ebola?

    A doença é causada pelo vírus ebola e, no surto atual, já matou quase a metade dos pacientes diagnosticados com a doença. Tem sintomas como febre, vômito, diarreia e hemorragia.

  • Como se contrai o vírus?

    O ebola é transmitido pelo contato direto com sangue e fluídos corporais (suor, urina, fezes e sêmen) de pessoas contaminadas e de tecidos de animais infectados.

  • Quais países têm mais casos de ebola?

    Guiné, Libéria e Serra Leoa vivem surtos de ebola. Na Nigéria houve casos da doença, mas o vírus deixou de ser ameaça no país. EUA e alguns países europeus resgataram compatriotas infectados para tratamento.

  • Quem tem mais risco de contrair a doença?

    Parentes dos pacientes e os profissionais de saúde que tratam os pacientes com ebola são os indivíduos em maior situação de risco. Mas, qualquer pessoa que se aproxime de infectados ou de seus corpos sem vida se coloca em risco.

  • O ebola tem cura?

    Não há remédio que cure o ebola propriamente. Existem apenas medicamentos e vacinas experimentais sendo testadas no Canadá, nos Estados Unidos e na África, que surtiram o efeito desejado, isto é, zeraram a carga viral dos infectados. Quem sobreviveu ao tratamento continuará sendo monitorado por um tempo.