Alimentação

Morte por ingestão excessiva e rápida de café é rara, mas pode ocorrer

Thiago Varella

Colaboração para o UOL

  • Reprodução/WIS TV

    Davis Allen Cripe, 16, sofreu um colapso cardíaco depois de beber muita cafeína

    Davis Allen Cripe, 16, sofreu um colapso cardíaco depois de beber muita cafeína

Um adolescente norte-americano de 16 anos morreu após ter consumido muita cafeína em um curto período de tempo. Davis Allen Cripe, morador da Carolina do Sul, sofreu um colapso cardíaco causado por uma grave arritmia depois de beber um latte - café com espuma de leite -, um refrigerante Mountain Dew e um energético em menos de duas horas.

Segundo o médico José Luis Aziz, diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia, esse tipo de morte é rara, mas possível de acontecer.

O jovem norte-americano começou a passar mal na escola e cerca de uma hora depois foi declarado morto. 

"Isto não foi uma overdose. Perdemos o Davis devido a uma substância totalmente legal. O nosso objetivo aqui hoje é dizer às pessoas, especialmente aos jovens nas escolas, que estas bebidas podem ser perigosas, e eles devem ser muito cuidadosos", disse o médico legista Gary Watts, em uma coletiva realizada na última segunda-feira (15).

De fato, ingerir grandes quantidades de cafeína em pouco tempo pode causar problemas de saúde e, em casos bem raros, a morte.

"O energético ou qualquer outra bebida com muita cafeína faz aumentar a pressão, causa extra-sístoles e palpitações. A cafeína é um estimulante do coração e, por isso, devemos ter cuidado no consumo", afirma José Luis Aziz, que também é professor da Faculdade de Medicina do ABC.

Segundo ele, o consumo de energéticos, que possuem grande concentração de cafeína, deve ser sempre moderado.  "Muitos jovens usam energético pra tudo. A bebida tem venda liberada e é fácil de comprar. O adolescente vai fazer uma prova e bebe. Vai jogar videogame e bebe. Isso pode ser perigoso", completou.

shutterstock

Qual o limite máximo de cafeína?

O FDA (órgão de saúde norte-americano) recomenda que adultos saudáveis limitem seu consumo de cafeína a 400 mg por dia, sendo que uma xícara de café tem cerca de 100 mg da substância e uma lata de energético de 250 ml tem cerca de 150 mg.

No caso de crianças e adolescentes, a Academia Norte-Americana de Pediatria pede que bebidas com cafeína sejam evitadas. 

No caso do adolescente norte-americano, o médico desconfia que o adolescente já sofria de algum problema prévio que não foi detectado em exame algum. E é justamente aí que está o grande perigo. Muita gente não sabe que sofre de algo no coração, como uma arritmia. 

"Se o indivíduo não sabe que tem alguma doença e consome muita cafeína, pode ser pego desapercebido. Ouço falar muito em morte súbita de adolescentes, por exemplo. Elas nunca são causadas por infarto. Geralmente, o problema é a arritmia que pode ser detectada por um eletrocardiograma", afirmou. 

Energético com álcool aumenta risco

Aziz alerta ainda para o perigo de uma mistura de energéticos com álcool. Como ambos são estimulantes do coração, o coquetel pode causar problemas cardíacos.

"O álcool é o maior perigo do energético. Em qualquer festa, a gente vê pessoas bebendo vodca ou uísque com energético. Essa mistura pode provocar arritmias agudas. Na maioria das vezes não mata, mas pode ser bem perigoso", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos