Preciso mesmo passar fio dental todo dia? 8 respostas sobre sua saúde bucal

Paula Moura

Colaboração para o UOL

  • Getty Images

Depois que uma revisão de estudos publicada no jornal Cochrane questionou se o fio dental realmente ajuda na higiene bucal, surgiu a dúvida: será que ele não funciona mesmo ou não estamos usando corretamente? 

A revisão de 12 estudos publicada pela The Cochrane Database of Systematic Reviews, em 2011, encontrou apenas evidência "pouco confiável" de que o uso de fio dental pode reduzir formação de placa após um e três meses. Os pesquisadores, explica o The New York Times, não conseguiram encontrar nenhum estudo sobre a eficácia do uso do fio dental somado à escovação na prevenção de cáries.

Em uma declaração, a Academia Americana de Periodontologia reconheceu que a maioria das evidências atuais deixa a desejar, porque os pesquisadores não conseguiram incluir participantes suficientes ou "examinar a saúde das gengivas por um período significativo de tempo".

Contudo, os dentistas mantêm a indicação do fio dental que, dizem, pode ser eficiente se bem usado. 

1 - Por que usar?

Defensores do fio dental argumentam que embora a escova dental remova a placa bacteriana da superfície do dente, ela não consegue remover toda placa.

Assim, a limpeza dos dentes todos os dias com o fio dental acaba removendo o restante de placa que a gente não consegue alcançar.

2 - Antes ou depois da escovação?

A sequência na verdade não faz diferença, desde que se faça corretamente, diz Levy Anderson, diretor do Departamento de Odontologia da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP).

iStock
Entre 15 cm e 25 cm de fio dental é suficiente para fazer a limpeza bucal

3 - Qual a forma correta de usar?

A ideia é que o fio dental retire tanto restos de comida que possam ter ficado presos nos dentes quanto deslize retirando a placa bacteriana das paredes do dente, que estão fora do alcance da escova.

Usando de 15 cm a 25 cm de fio dental, a orientação é usar em forma de "C": colocar o fio entre os dentes, mover o fio dental para frente num movimento de empurrar e puxar como se abraçasse o dente.

O fio deve ser levado até a região subgengival, ou seja, sobe até o limite do dente com a gengiva (com delicadeza!). Entra passando por uma parede do dente e sai passando pela outra.

4 - Quantas vezes por dia?

O ideal é que seja feito depois de todas as refeições em conjunto com a escovação. "O mínimo é uma utilização diária", diz Marcelo Januzzi, da Associação Brasileira de Odontologia.

Anderson lembra que, devido à pressa do dia a dia, muitas pessoas não passam o fio dental em todas as refeições e alerta para a importância da higiene noturna.

"Se não for feita de forma adequada, todos resíduos de alimentos ficam parados na boca sofrendo um processo de fermentação, o que leva à formação de ácido e ao início do processo de lesão

5 - Quais são os erros mais comuns?

Deixar de limpar as "paredes" dos dentes e remover o fio puxando de volta pelo espaço entre os dentes, explica Januzzi.

6 - Sair sangue da gengiva indica doença?

Entre os motivos mais comuns para que saia sangue quando se passa o fio dental estão: realizar a limpeza com muita força ou que a gengiva está começando a ficar inflamada.

"Passando vai ajudar a tirar as bactérias e reduzir o sangramento ao longo do tempo", diz Anderson. Se não melhorar, o ideal é procurar com um dentista.

7 - Posso substituir o fio dental por haste dental?

Para Januzzi, o mais recomendado é o fio dental clássico, pois ele pode ser removido pelo espaço entre os dentes, além de ser mais barato. Para Anderson, não há diferença além do preço.

Outra opção é a fita dental. "Quando o paciente tem dentes muito próximos, pode ser que o fio dental seja muito espesso para ser usado, então recomenda-se a fita dental, que é mais fina e higieniza o tanto quanto o fio dental", diz Anderson.

8 - Que doenças se pode contrair por não usar fio dental?

Se a placa bacteriana não é retirada do dente, pode desenvolver primeiramente cárie e gengivite, inflamação da gengiva.

O quadro pode evoluir para doença periodontal, uma inflamação do tecido que sustenta os dentes. Quando chega em caso muito avançado, ocorre perda óssea, os dentes moles e acabam caindo.

"Hoje se sabe que o paciente que tem doença periodontal se não cuida pode potencializar casos de diabetes, problemas cardiovasculares", diz Anderson.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos