PUBLICIDADE
Topo

Brasil terá mês 'crucial' no monitoramento do coronavírus, diz governo

CDC/Reuters
Imagem: CDC/Reuters

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

09/03/2020 19h04Atualizada em 09/03/2020 19h06

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, afirmou hoje que o próximo mês será "crucial" para entender a dinâmica de transmissão do novo coronavírus no país.

O Brasil possui ao menos 30 casos confirmados da doença — cinco novos registros foram anunciados hoje no estado do Rio de Janeiro. O primeiro paciente com teste positivo para o vírus foi registrado há duas semanas, no dia 25 de fevereiro.

"Vamos observar, vamos acompanhar. Eu acho que essas próximas duas a quatro semanas serão cruciais para a gente entender um pouco da velocidade e da intensidade da transmissão e das características de transmissão no território nacional", disse Oliveira.

Para o secretário, ainda não é possível afirmar que a transmissão do vírus no Brasil seguirá o mesmo padrão de outros países onde a infecção se alastrou por causa de diferenças climáticas e urbanas. Por exemplo, em países mais frios as pessoas tendem a permanecer em ambientes fechados, com pouca ventilação.

Por isso, ele afirma que tanto pode ocorrer um aumento no número de casos quanto uma estagnação na transmissão do vírus.

"É possível conter? A Organização Mundial da Saúde tem colocado isso reiteradamente: é uma pandemia, ela afirma, mas possivelmente será a primeira pandemia que teremos a capacidade de conter. Assim desejamos, que seja possível conter", afirmou Oliveira.

O total de casos suspeitos da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, no país passou para 946 (eram 663 suspeitas ontem).

Atualmente há casos confirmados de infectados por coronavírus em seis estados e no Distrito Federal. Os estados são: Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.

Novos critérios para teste da doença

O Ministério da Saúde decidiu alterar os critérios para realizar o teste do coronavírus em pacientes com síndromes gripais.

Em cidades que já têm casos confirmados, serão testados todos os pacientes que deram negativo para outros vírus, independentemente de se o paciente esteve ou não em viagem ao exterior. Além disso, todos os pacientes considerados graves serão submetidos ao teste para o coronavírus.

O objetivo é identificar com maior precisão se há a circulação do vírus no país. Até o momento, foi possível rastrear a origem da transmissão em todos os casos confirmados: viagens ao exterior ou contato com outros pacientes confirmados. Por isso, o Ministério da Saúde considera que o vírus não está em circulação no Brasil.

Horário estendido no posto de saúde

Como forma de ampliar a rede de atendimento do SUS, o Ministério da Saúde anunciou que vai oferecer uma verba extra para as prefeituras que queiram ampliar o horário de atendimento dos seus postos de saúde. O objetivo é estar preparado para um eventual aumento na demanda dos atendimentos por causa do vírus.

A ampliação do horário deve ser de 8 para 12 horas diárias de atendimento nos postos de saúde.

Atualmente, o Brasil se encontra no terceiro nível de resposta ao vírus, o de emergência em saúde pública, em uma fase chamada de contenção do vírus.

Nessa etapa, a rede de hospitais tem maior atividade. Já na fase de mitigação — que deve ser atingida quando houver mais de cem casos confirmados — há necessidade de fortalecer a atenção primária, informa o plano, enquanto hospitais continuariam a atender casos mais graves.

Saúde