PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
7 meses

Einstein alerta para aumento de internações e testes positivos de covid-19

Entre quinta (12) e sexta (13), o Einstein registrou 18 novas internações de pacientes de covid-19 - Eduardo Anizelli/Folhapress
Entre quinta (12) e sexta (13), o Einstein registrou 18 novas internações de pacientes de covid-19 Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

14/11/2020 13h37Atualizada em 16/11/2020 16h11

O Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, fez um alerta para o aumento de internações por covid-19 verificado nos últimos dias, além do crescimento no número de testes realizados e nos diagnósticos positivos para a doença. Hoje, o hospital tem 68 leitos ocupados por pacientes infectados pelo coronavírus.

Em nota, o Einstein informou que, entre quinta (12) e sexta (13), foram registradas 18 novas internações relacionadas à covid-19, número que supera a média de hospitalizações contabilizadas diariamente nas últimas semanas.

Do fim de setembro ao dia 12 de novembro, a média de internações oscilou entre 50 e 55 pacientes, segundo o hospital, o que representa patamar até 26% inferior ao atual (68).

Já o número de testes positivos foi crescendo gradativamente a partir do fim de outubro: entre os dias 20 e 26, a média diária foi de 869 exames, sendo 82 positivos; de 27 de outubro a 2 de novembro, foram 867, mas com 97 positivos. Já entre 3 e 9 de novembro, a média saltou para 1.017, com 155 confirmações (15,2%).

"Os novos números alertam para a necessidade da manutenção das medidas de prevenção: usar máscaras em qualquer ambiente, fechado ou ao ar livre, respeitar o distanciamento social sempre, não participar de aglomerações e realizar a higienização das mãos com frequência", orienta o Einstein.

Não é o único

Com alta de infecções na classe média constatada na capital paulista, outros hospitais privados de São Paulo voltaram a registrar aumento de atendimentos e internações por covid-19 ao longo do último mês. Já na rede pública municipal, boletins epidemiológicos da prefeitura mostram que o índice vinha recuando significativamente mês a mês, mas acabou estacionando em novembro.

No Hospital Sírio-Libanês, por exemplo, o número de internações por covid-19 havia recuado para 80 em outubro e agora voltou a registrar 120, o mesmo patamar de abril, fase mais aguda da pandemia. Entre os pacientes, 50 estão em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva).

Já o HCor chegou a internar 100 pessoas no período mais crítico, mas viu o índice cair nos meses seguintes. Há três semanas, porém, as internações subiram de novo: de 17 registros, em 20 de outubro, para 30, no último dia do mês. Desde então, a taxa tem se mantido acima desse patamar.

Os dados foram publicados pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo.

"Em nenhum dos dias, o índice foi inferior ao de 20 internações diárias", diz o HCor. Considerando só leitos de UTI, havia 13 pessoas no hospital por casos confirmados ou suspeitos de coronavírus no início da semana.

(Com Estadão Conteúdo)

Coronavírus