PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
2 meses

Início de vacinação em 25 de janeiro está mantido, diz governo de SP

Jean Gorinchteyn comemorou porque a porcentagem de eficácia está, no mínimo, acima de 50% - MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO
Jean Gorinchteyn comemorou porque a porcentagem de eficácia está, no mínimo, acima de 50% Imagem: MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO

Allan Brito, Felipe Oliveira e Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

23/12/2020 17h12

Ao contrário do esperado, o governo de São Paulo não divulgou hoje a porcentagem da eficácia da vacina CoronaVac contra a covid-19. Em coletiva de imprensa, representantes do governo só disseram que o valor é suficiente para fazer um pedido para uso emergencial. Apesar dessa mudança, a data prevista para o início da vacinação não foi alterada. De acordo com o PEI (Programa Estadual de Imunização), tudo começará em 25 de janeiro no estado.

"Todo planejamento com relação à vacinação continua igual. A produção das doses está acontecendo aqui na fábrica do Butantan e iniciaremos nosso programa estadual de imunizações no dia 25 de janeiro. Apesar dessa não revelação de dados, no sentido de valores de eficácia específicos, nós temos a superioridade de 50%, o que dá a tranquilidade de podermos consagrá-lo no Programa Estadual e aguardarmos a inserção dessa vacina no Programa Nacional de Imunização", explicou Jean Gorinchteyn, Secretário de Saúde de São Paulo.

O PNI (Programa Nacional de Imunização) é organizado pelo Ministério da Saúde, que está negociando para comprar 45 milhões de doses da CoronaVac até março. E ainda cogita comprar mais 100 milhões de doses até o fim do 1º semestre.

João Gabbardo, diretor executivo do Centro de Contingência contra covid-19, seguiu o mesmo tom de Jean e manteve a promessa feita pelo governador João Doria (PSDB), de iniciar a vacinação em 25 de janeiro.

"Queria reafirmar que esse atraso, digamos, que vai ocorrer hoje, não altera a produção nem nosso programa de imunização estadual. Continuamos com a previsão do dia 25, uma vez que agora temos certeza que a vacina, com essa fase 3 que temos, se for encaminhada para Anvisa, atenderá as exigências no aspecto de eficácia", explicou Gabbardo.

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, explicou por que a porcentagem de eficácia não foi divulgada hoje. Segundo ele, foi um pedido do laboratório SinoVac e a possibilidade estava prevista em contrato. O objetivo é que os dados sejam comparados a resultados de pesquisas em outros países, evitando que a vacina tenha diferentes índices de eficácia anunciados.

"Essa solicitação da SinoVac tem respaldo no contrato e só podemos divulgar esse número em conjunto. E vamos fazer no tempo oportuno. Esperamos que seja o mais rápido possível", explicou Dimas, que também prometeu que isso não vai interferir no processo de aprovação das vacinas.

Saúde