PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Na mesma frase, Pazuello diz que AM será 1º vacinado e todos estados também

Guilherme Mazieiro e Afonso Ferreira

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

13/01/2021 13h12

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse hoje que Manaus (AM) é prioridade no combate ao novo coronavírus e que é necessário fortalecer o "atendimento precoce". O ministro cumpre agenda no estado desde domingo (10) e deve retornar hoje para Brasília.

"Manaus é a prioridade nacional neste momento, vocês estão ouvindo do ministro da Saúde", disse Pazuello em pronunciamento em Manaus.
A cidade enfrenta aumento de casos e superlotação de unidades de saúde. "Não tem como resolver essa situação se não transformarmos o atendimento precoce em prioridade, que aliás já é a prioridade do prefeito atual."

O ministro afirmou que disponibilizou suporte logístico, leitos e equipamentos para o estado. Ele destacou que a vacinação começará em janeiro, mas fez confusão ao falar da programação nos estados.

Vamos vacinar em janeiro e Manaus será também a primeira a ser vacinada. Eu fui claro? Ninguém receberá a vacina antes de Manaus. A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade também."
Eduardo Pazuello, ministro da Saúde

Após a fala de Pazuello, o Ministério da Saúde esclareceu que a vacinação será simultânea em todo país e Manaus não será o primeiro município a vacinar. Ou seja, Manaus não receberá nem antes nem depois dos demais municípios, e sim ao mesmo tempo.

O ministro prevê que a vacinação começará "três ou quatro" dias após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizar a aplicação de doses. Segundo ele, a imunização começará ainda em janeiro. Mas não há uma data específica.

A Anvisa deve anunciar no domingo (17) se aprova ou não o uso emergencial (para grupos específicos) das vacinas do Butantan (CoronaVac) e da Fundação Oswaldo Cruz (Oxford/AstraZeneca). Se ambas vacinas forem liberadas, o governo terá cerca de 8 milhões de doses disponíveis.

Ele destacou que sua família está em Manaus e convive com a pandemia.

"A minha família está em Manaus, todos sabem disso. Minha família está em Manaus, minha filha está em Manaus. E isso faz com que não tem como não pensar que tem que tomar cuidado. Então, quero deixar aqui muito claro para todos que nós não estamos nem um pouco afastados de viver o problema de Manaus. Estamos dentro do problema com todos os senhores", disse Pazuello.

Saúde