PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
2 meses

Vacinação contra covid-19 tem início em todos os estados do Brasil

Do UOL, em São Paulo*

19/01/2021 08h10Atualizada em 19/01/2021 14h06

Após falhas de logística do Ministério da Saúde que atrasaram a distribuição da CoronaVac, dez estados e o Distrito Federal deram início na manhã de hoje à aplicação do imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac. Assim, todos os estados do Brasil já começaram a vacinação contra a covid-19.

Durante a manhã de hoje, Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Distrito Federal, Pará, Paraíba, Sergipe, Rio Grande do Norte, Rondônia e Roraima marcaram o início da imunização em cerimônias em suas respectivas capitais. No domingo (17), São Paulo aplicou a primeira dose no Brasil. Ontem, outros estados também começaram a vacinação.

A entrega das vacinas foi iniciada na manhã de ontem, após aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no dia anterior, para o uso emergencial das vacinas da Sinovac e da AstraZeneca, no domingo.

O governo federal chegou a anunciar que a vacinação seria iniciada em todo o país ainda ontem, mas problemas de logística atrasaram a entrega das vacinas para a maioria dos estados.

Inicialmente, o governo federal pretendia que a vacinação fosse iniciada simultaneamente em todos os Estados às 10h de quarta-feira (20), mas governadores pressionaram pela antecipação, uma vez que as vacinas já estavam nas mãos do Ministério da Saúde e após São Paulo começar sua vacinação já no próprio domingo.

"Neste momento inicial, o Ministério da Saúde estima vacinar cerca de 3 milhões de pessoas, priorizando profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência vivendo em instituições de longa permanência e indígenas aldeados", disse o ministério em nota.

No total, 6 milhões de doses do Instituto Butantan, produzidas pelo laboratório Sinovac, estão disponíveis para a vacinação, e o governo federal aguarda a importação de 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca da Índia, que está atrasada.

De todas doses, cerca de 42% são destinadas ao Sudeste. Na sequência, aparece o Nordeste, com aproximadamente 24%. Sul e Norte têm, respectivamente, 13% e 12%. O Centro-Oeste recebeu cerca de 9% das doses. A distribuição para os municípios fica sob responsabilidade de cada estado.

Bahia

A enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinha, 53, e Lícia Pereira Santos, 83, foram as primeiras vacinadas da Bahia na manhã de hoje.

Maria Angélica trabalha no Instituto Couto Maia e Lícia mora no Centro de Geriatria das Obras Sociais de Irmã Dulce desde 2014.

"Estou muito feliz de ser a primeira idosa a receber a vacina aqui na Bahia", celebrou a idosa.

Lícia Pereira Santos, idosa que mora, desde 2014, no Centro de Geriatria das Osid, uma das primeiras vacinadas contra a covid-19 na Bahia - Camila Souza/Governo da Bahia - Camila Souza/Governo da Bahia
Lícia Pereira Santos, idosa que mora, desde 2014, no Centro de Geriatria das Osid, uma das primeiras vacinadas contra a covid-19 na Bahia
Imagem: Camila Souza/Governo da Bahia

A cerimônia que marcou o início da imunização aconteceu na sede da Osid (Obras Sociais Irmã Dulce), em Salvador, e foi acompanhada pelo governador do estado, Rui Costa (PT), e pelo prefeito da capital, Bruno Reis (DEM).

Também foram vacinados no ato o médico Uenderson Barbosa, 30 anos, que trabalha no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), e a índia Deisiane Tuxá, 31, que trabalha na Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais.

As 376.600 doses da CoronaVac, imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan, em parceria com a empresa chinesa Sinovac, chegaram ontem à noite em voo comercial ao Aeroporto de Salvador. As vacinas são suficientes para imunizar inicialmente cerca de 188 mil baianos, informou o governo do estado.

Inicialmente, serão vacinados profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à covid-19 e em unidades de saúde de urgência e emergência, idosos que vivem em instituições de longa permanência, indígenas e comunidades tradicionais.

Os imunizantes já foram enviados em aeronaves para cidades-polo baianas, de onde devem partir, em veículos como vans e caminhões, para os municípios menores em todas as regiões do estado.

Em discurso, Rui Costa celebrou o início da imunização, mas ressaltou que ainda não há vacina disponível para todos. "Cada um de nós está emocionado pela dor, pelo sofrimento de longos meses. Apesar de hoje não significar o início da vacinação em massa, porque não temos vacina suficiente pra isso, mas não deixa de nos emocionar, porque a partir de hoje podemos enxergar uma luz no final do túnel", disse ele.

Já Bruno Reis classificou o dia como "histórico" em uma rede social.

Pará e Paraíba também iniciam vacinação

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), também informou que a vacinação começou hoje no estado. Duas profissionais de saúde de Belém e um profissional de saúde de Ananindeua foram os primeiros a serem imunizados.

As vacinas chegaram ao estado às 23h de ontem. Da carga de 173.240 doses destinadas ao Pará, 48.680 serão destinadas à população indígena.

"Esse momento representa uma espera de 11 meses que chega ao fim. É uma vitória da esperança e da vida. Já nesta madrugada a vacina segue para as regiões do Estado, para iniciar a imunização da população. Agora teremos a distribuição com 37 voos, entre helicópteros e aviões, para que o imunizante chegue a todo o Pará", disse o governador.

Na Paraíba, o governador João Azevêdo informou que a enfermeira Marineide Gouveia, que atua no Hospital Clementino Fraga, foi a primeira a ser vacinada no estado.

O segundo imunizado no estado foi Genildo Avelar, índio potiguar, da cidade de Marcação.

Ontem, o governador disse que a distribuição das 92.960 doses da vacina contemplará todos os os municípios paraibanos.

Assistente social é 1ª vacinada no Alagoas

No Estado de Alagoas, a campanha teve início com Marta Antônia de Lima, de 50 anos, assistente social do Hospital da Mulher de Maceió que trabalha no SUS há 22 anos A vacinação aconteceu no Hospital Metropolitano de Maceió.

"Gratidão e esperança são as minhas únicas palavras para este momento histórico. A verdade é que estamos tendo a oportunidade de ter dias melhores daqui para frente", disse Marta, após cerimônia que contou com a presença governador Renan Filho (MDB-AL).

Em Sergipe, a enfermeira Sônia Aparecida Damásio, de 48 anos, foi a primeira imunizada. Ela é funcionária do Hospital de Urgência Governador João Alves Filho, principal unidade hospitalar do Estado.

Enfermeira é vacinada no DF

Enfermeira foi a primeira a ser imunizada contra a covid-19 no Distrito Federal - Reprodução/Instagram/gov_df  - Reprodução/Instagram/gov_df
Enfermeira foi a primeira a ser imunizada contra a covid-19 no Distrito Federal
Imagem: Reprodução/Instagram/gov_df

No Distrito Federal, a enfermeira Lídia Rodrigues foi a primeira imunizada. Ela trabalha na linha de frente contra a covid-19. Na cerimônia, além dela, outros profissionais da saúde também foram vacinados.

O governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), esteve presente no ato ao lado de outras autoridades.

Das cerca de 6 milhões de doses da CoronaVac distribuídas pelo Ministério da Saúde, o Distrito Federal ficou com 106.160.

Amapá e Rio Grande do Norte

No estado, o enfermeiro Demétrio Tyrió, 46 anos, foi o primeiro indígena a receber a vacina contra covid-19. Das doses distribuídas pelo Ministério da Saúde, o Amapá ficou com 31 mil.

Já no Rio Grande do Norte, Maria das Graças Pereira de Oliveira, 57, que atua como técnica de enfermagem no Hospital Giselda Trigueiro há mais de 30 anos e trabalhou na linha de frente de combate à pandemia, foi a primeira pessoa a ser vacinada.

Acre, Roraima, Rondônia

Depois de receberem as doses durante a madrugada, Rondônia e Acre iniciaram a vacinação no fim da manhã de hoje. Em Rio Branco, capital acreana, quatro pessoas foram escolhidas para receberem as primeiras doses do estado

  • José Marcelino, 85 anos, morador do Lar dos Vicentinos
  • Maria José - Técnica em Enfermagem, 69 anos e 38 de profissão, lotada no Huerb, na Clínica de Ortopedia;
  • Maria José Monteiro - Enfermeira - lotada no Huerb, no Centro Cirúrgico do Huerb;
  • Elza Severina Manchineri, indígena - Enfermeira

Roraima, por sua vez, teve como primeira vacinada a indígena Iolanda Pereira da Silva, da etnia macuxi.

*Com informações da Estadão Conteúdo e Reuters.

Saúde