PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Prefeito de Manaus relata explosão de atendimentos por covid-19 em janeiro

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), disse que desafios impostos por aumento de casos de covid-19 ainda são grandes - Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo
O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), disse que desafios impostos por aumento de casos de covid-19 ainda são grandes Imagem: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

25/01/2021 12h31

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante-AM), relatou uma explosão no número de atendimento em unidades básicas de saúde (UBSs) por suspeita de covid-19 em janeiro e disse que o pior ainda não passou na capital amazonense.

Em entrevista para a GloboNews, Almeida disse que os mais de 156 mil atendimento registrados nos primeiros 24 dias do ano nestas unidades já superam o total de 2020, quando Manaus também vivenciou um surto da doença.

"O pior ainda não passou, o problema ainda é muito grande, existe superlotação de hospitais, pessoas precisam de atendimento. Em 24 dias (em janeiro), fizemos acolhimentos de mais 156 mil pessoas só nas UBSs destinadas à covid-19, número maior do que no ano passado", disse.

David Almeida ainda disse que o problema de abastecimento de oxigênio está controlado, mas não resolvido. O prefeito disse que a oferta é ainda inferior ao consumo.

"O problema do oxigênio está controlado, mas não resolvido. Diariamente está se consumindo 76 mil m³, só que a oferta é de 30 mil m³. Todo dia precisa chegar para abastecer a rede pública e privada. Manaus vive um momento difícil", completou.

A situação no Amazonas vem se agravando desde as festas de fim de ano. As unidades de saúde de Manaus estão superlotadas e, na semana passada, o estoque de oxigênio nos hospitais acabou. A média móvel de mortes no estado cresceu 217% em relação ao dado de duas semanas atrás.

Coronavírus