PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Setor privado quer comprar vacina que não for vendida ao governo, diz Skaf

Paulo Skaf participou de reunião com Bolsonaro hoje - Alex Silva/Estadão Conteúdo
Paulo Skaf participou de reunião com Bolsonaro hoje Imagem: Alex Silva/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

26/01/2021 18h01

O presidente da Fiesp (Fundação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, afirmou hoje que o setor privado vai comprar vacinas aprovadas pela Anvisa caso algum laboratório não queira vender para o governo.

"Só vamos pensar em comprar vacina em uma situação em que haja um vendedor com a vacina aprovada pela Anvisa e que não quer vender para o governo", explicou Skaf em entrevista à emissora de televisão CNN Brasil. Ele participou na manhã de hoje de uma reunião entre empresários e o presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com Skaf, o setor privado está se colocando à disposição do governo federal para uma compra eventual em um cenário em que não haja outra opção. Ele também disse que os empresários se disponibilizaram a ajudar com a parte logística ou de divulgação. "Na verdade, o intuito principal hoje foi como agilizar esse processo todo para, da forma mais rápida possível, a população brasileira ter acesso a vacina", afirmou.

Skaf também negou que tenha havido negociação do setor privado com a AstraZeneca para aquisição da vacina de Oxford. "Eu desconheço qualquer negociação com a AstraZeneca", disse, ressaltando que não sabe a origem da informação de que o setor privado compraria 33 milhões de doses da farmacêutica. O presidente Jair Bolsonaro deu aval para que empresários comprem as vacinas.

O presidente da Fiesp relatou uma conversa com a Pfizer. Segundo ele, o laboratório teria afirmado que só venderia vacinas diretamente para governos.

Skaf afirmou ainda que o governo tem dinheiro para comprar vacinas e experiência em logística para viabilizar a vacinação, mas que faltam vacinas. Ele ressaltou ainda que esse não é um problema exclusivo do Brasil.

Saúde