PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Centro de vacinação em São Luís tem aglomeração e espera de três horas

Profissionais de saúde chegam a esperar três horas por vacinação contra covid-19 em São Luís - Arquivo pessoal
Profissionais de saúde chegam a esperar três horas por vacinação contra covid-19 em São Luís Imagem: Arquivo pessoal

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, no Recife

27/01/2021 18h53

Profissionais de saúde de São Luís que estão no grupo prioritário da campanha de vacinação contra o novo coronavírus enfrentam problemas para receberem o imunizante no Centro Municipal de Vacinação, localizado no Pavilhão de Eventos do MultiCenter Sebrae, no bairro Cohafuma, em São Luís.

Segundo pessoas ouvidas pelo UOL, o espaço registra longas filas e aglomeração de centenas de pessoas desde que teve inicio a campanha no último dia 19. Ontem, a SES (Secretaria de Estado da Saúde) notificou a Prefeitura de São Luís para que adote providências que evite aglomeração no Centro Municipal de Vacinação.

A prefeitura decidiu por um único ponto de vacinação para os profissionais de saúde em vez de levar as vacinas para as unidades de saúde as quais o público-alvo trabalha, como recomenda o os planos nacional e estadual de imunização. O município informou que o local atende cerca de 3.000 pessoas por dia. Procurada, a prefeitura afirmou que houve um "problema pontual" ontem e que busca aperfeiçoar o sistema.

O calendário de vacinação da Prefeitura de São Luís determinou que ontem fossem vacinados profissionais de saúde com idade entre 40 e 59 anos. Dados do município apontam que, entre segunda e terça-feira, 3.740 pessoas foram vacinadas pela prefeitura. Entre os dias 19 e hoje, foram vacinadas 17 mil pessoas no local.

Dois profissionais de saúde, que foram até o local ontem e hoje, relataram ao UOL que enfrentaram cerca de três horas de espera para poderem ser vacinados. Eles contaram que, além da demora, tiveram problemas com o calor e a aglomeração de pessoas que aguardavam a vacinação.

O UOL obteve imagens do atendimento no Centro Municipal de Vacinação registradas ontem. Nas imagens, é possível observar que centenas de pessoas conseguiram se sentar em cadeiras, mas o distanciamento mínimo de 1,5 metro não é cumprido e há também pessoas que tiveram de esperar em pé o chamamento da ficha.

Um técnico de enfermagem, que pediu para não ter a identidade revelada, afirmou que chegou às 10h30 e havia mais de 700 pessoas na frente dele para se vacinar. "Saí do plantão hoje e fui me vacinar para aproveitar que estou de folga, mas foi exaustivo passar da hora do almoço e continuar esperando a vacinação. Só não desisti porque amanhã trabalho em outro local e não posso faltar. Foi absurda essa demora para me vacinarem. Esperei três horas em pé porque não tive coragem de ficar naquela multidão", relatou.

"O local é quente, não existe distanciamento porque é muita gente para ser atendida. Se tivessem levado as doses para onde trabalho não teríamos esse problema. Mas, infelizmente, tive que esperar pois estava ansiosa com essa vacina", contou outro profissional de saúde, que também pediu anonimato.

O Maranhão registrou até agora 205.920 pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 4.657 mortes em decorrência da covid-19.

Governo cobra providências; prefeitura alega "problema pontual"

O governo do Maranhão explicou que a aplicação da vacina nos municípios é de responsabilidade das prefeituras, enquanto o Estado fica com a distribuição das doses às cidades. Devido ao problema em São Luís, a Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão notificou o município, por meio de ofício, solicitando providências urgentes contra as aglomerações que vêm se formando no Centro de Vacinação do Multicenter Sebrae.

No documento, a SES destacou que tomou conhecimento da "concentração" de profissionais de saúde para serem vacinados e diante disto "requerer-lhe providências, em caráter de máxima urgência, no sentido de evitar demasiadas aglomerações de pessoas, como as que têm ocorrido". O texto reforça que os protocolos sanitários precisam ser respeitados pela Prefeitura de São Luís e que a vacinação deve ser levada para as unidades de saúde com equipes volantes, conforme recomendação do Ministério da Saúde, além do ponto no Centro Municipal de Vacinação.

Questionada sobre ter decidido por um único ponto de vacinação, a prefeitura de São Luís justificou, em nota, que a centralização é necessária para facilitar o processo de logística e de controle da quantidade de doses da vacina recebida nesta primeira fase.

"As doses estão sendo liberadas pelo Ministério da Saúde e distribuídas pelo Estado do Maranhão aos poucos. Por esse motivo, escolhemos o Multicenter Sebrae, que conta com uma área de 8,7 mil metros quadrados, o que nos permite dividir cada setor de triagem, registro, vacinação e pós-vacinação em espaços diferentes, respeitando o distanciamento social mínimo recomendado entre as pessoas", explicou a prefeitura.

A gestão da capital maranhense afirmou ainda que ontem ocorreram "intercorrências pontuais" que causaram demora no atendimento, pois houve troca do tipo de vacina, de forma simultânea ao atendimento, além de instabilidade no sistema de registro criado pelo Ministério da Saúde para contabilização das doses aplicadas.

"Reiteramos que esse problema foi pontual. Estamos buscando diariamente aperfeiçoar o atendimento no Centro Municipal de Vacinação para que ele seja realizado de maneira cada vez mais ágil e eficaz. Ampliamos o número de atendentes no setor de triagem e de registro. Além disso, instalamos mais boxes para vacinação e assim agilizar o processo de vacinação. No início, estávamos atendendo 200 pessoas por hora, com essa ampliação, passamos a mais de 300 pessoas por hora. Além disso, passamos a atender também aos sábados", justificou.

Segundo a prefeitura, o fluxo de atendimento do Centro de Vacinação chega a mais de 3.000 pessoas por dia e isso permitirá que o Plano Municipal de Vacinação seja cumprido antes do previsto. "Nossa previsão inicial era vacinar todos os profissionais da saúde em até sete semanas. Já vacinamos mais de 17 mil pessoas em seis dias de funcionamento. Com esse ritmo, esperamos que em quatro semanas já seja concluída essa primeira fase, a depender do recebimento de doses. Estamos trabalhando para que de maneira mais rápida possível possamos cumprir as três fases, atingindo assim, um contingente populacional de aproximadamente 150 mil habitantes, à medida que tenhamos vacina para suprir essa demanda".

A prefeitura destacou que haverá descentralização do processo de imunização, de forma gradativa, conforme mais doses de vacinas sejam entregues pelo Estado. "A ampliação do público a ser imunizado irá demandar naturalmente isso. A princípio pensamos em distribuir nas Unidades Básicas de Saúde do município e temos um projeto pré-aprovado para inclusão de pontos móveis de vacinação, obedecendo todos os critérios de higiene e distanciamento social".

O Centro Municipal de Vacinação funciona de segunda a sábado, das 8h às 17h. Os portões estão sendo abertos com 30 minutos de antecedência, para que haja a triagem antes do início do horário da vacinação.

Saúde