PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Lote com insumos para 14 milhões de doses da CoronaVac chega a São Paulo

O governador João Doria, o presidente do Butantan, Dimas Covas (esq.), e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, recebem insumos da CoronaVac no aeroporto de Guarulhos (SP) - Reprodução/TV Globo
O governador João Doria, o presidente do Butantan, Dimas Covas (esq.), e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, recebem insumos da CoronaVac no aeroporto de Guarulhos (SP) Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

04/03/2021 06h48Atualizada em 04/03/2021 07h59

Um novo lote de insumos para a produção da CoronaVac, vacina contra a covid-19, chegou na manhã de hoje a São Paulo. O avião pousou no Aeroporto Internacional de Guarulhos por volta das 6h15.

O lote tem 8,2 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo), produzido na China, pela biofarmacêutica Sinovac, parceira do Instituto Butantan no desenvolvimento da vacina contra a covid-19. A matéria-prima permitirá a produção de 14 milhões de doses do imunizante.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), o presidente do Butantan, Dimas Covas, e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, estiveram no terminal para acompanhar a chegada do material.

Segundo o tucano, essas novas doses serão distribuídas ao Ministério da Saúde a partir do dia 25 de março.

Só em março, segundo Doria, o Butantan deve entregar 21 milhões de doses da CoronaVac ao PNI (plano nacional de imunização) contra a covid-19 do Ministério da Saúde. Até o fim de abril, o governo federal já terá recebido 46 milhões de doses do imunizante; outras 56 milhões serão entregues até o fim de agosto, totalizando 100 milhões.

Covas afirmou ontem que o órgão concordou em vender um lote adicional de 30 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde e também já encomendou à companhia chinesa 20 milhões de doses a mais que serão usadas somente no estado de São Paulo.

O Butantan passou a trabalhar 24 horas por dia, sete dias por semana, para agilizar a produção e envase das vacinas, ainda de acordo com o governador.

Saúde