PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid-19: comissão do Senado ouvirá Pazuello, Guedes e Ernesto Araújo

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, será um dos ouvidos pea comissão do Senado sobre as ações do governo na pandemia - Tarla Wolski/Futura Press/Estadão Conteúdo
O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, será um dos ouvidos pea comissão do Senado sobre as ações do governo na pandemia Imagem: Tarla Wolski/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

08/03/2021 14h54

A comissão temporária do Senado que acompanha as questões de saúde pública relacionadas à pandemia da covid-19 aprovou hoje a convocação de audiências com três ministros para explicar a atuação das pastas.

O foi apresentado pelo plano relator, senador Wellington Fagundes (PL-MT). Estão previstas quatro audiências com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (a primeira em 18 de março), quatro com o ministro da Economia, Paulo Guedes (a primeira em 22 de março), e uma com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo (em 29 de março).

Também vão participar de audiências a presidente do TCU (Tribunal de Contas da União), Ana Arraes; o ministro da CGU (Controladoria-Geral da União), Wagner Rosário; governadores; prefeitos; secretários de saúde; e representantes do empresariado.

O plano também prevê encontros com os presidentes do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), além de representantes de farmacêuticas.

Segundo o presidente da comissão, o relatório deve estar finalizado até 30 de junho.

O relator destacou que, além de verificar a destinação e a aplicação dos recursos públicos no combate à pandemia, a comissão vai acompanhar todo o processo de vacinação no país.

"Desde a autorização de uso das vacinas, passando pela negociação e aquisição dos imunobiológicos, e culminando com a distribuição e controle da aplicação das doses preconizadas, a fim de promover a imunização de toda a população brasileira no menor período possível. Temos que buscar a vacina onde estiver, pelo preço que estiver, para ofertar a possibilidade de imunização. Não há outro caminho", afirmou Wellington.

O relator também ressaltou que o colegiado vai analisar as experiências de estados e municípios que vêm acertando na condução da pandemia, com diminuição dos níveis de infecção e mortes, para avaliar quais ações foram mais eficientes. A comissão também acompanhará o planejamento realizado em todos os níveis federativos.

O presidente da comissão, senador Confúcio Moura (MDB-RO) afirmou que o colegiado terá que dar, semanalmente, satisfações das atividades da comissão em Plenário. Para ele, é necessária uma divulgação massiva da vacinação por parte do governo federal.

"Esta comissão veio em um momento de desespero que o país está vivendo e exige respostas rápidas. Nós temos que oferecer ao Plenário quantidades de vacinas disponíveis e um cronograma certo. O ministro da Saúde não pode falhar tanto quanto tem falhado, atrasando os cronogramas", afirmou Moura.

*Com informações da Agência Senado

Saúde