PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
2 meses

Saúde libera utilização de vacinas reservadas para aplicação da 2ª dose

Saúde libera utilização de vacinas reservadas para aplicação da 2ª dose - CARL DE SOUZA / AFP
Saúde libera utilização de vacinas reservadas para aplicação da 2ª dose Imagem: CARL DE SOUZA / AFP

Colaboração para o UOL, em São Paulo*

21/03/2021 14h59Atualizada em 21/03/2021 20h58

O ministério da Saúde autorizou hoje (21) a utilização de todas as vacinas contra a covid-19, entregues para Estados e municípios, para aplicação da primeira dose. Antes, o ministério recomendava que metade das vacinas fosse reservada para garantir a aplicação da segunda dose. Na prática, a decisão permite dobrar o número de pessoas vacinadas com a primeira dose.

Ontem (20), o Ministério da Saúde começou a distribuição de cerca de 5 milhões de novas doses pelo país. De acordo com as regras antigas, esse 5 milhões de vacinas poderiam ser usados para aplicar a primeira dose em 2,5 milhões de pessoas -- o restante ficaria guardado para garantir que essas mesmas pessoas recebessem a segunda dose.

Já agora, o mesmo estoque de 5 milhões de vacinas poderá vacinar 5 milhões de pessoas com a primeira dose -- o dobro. Enquanto isso, se aguarda a produção das outras 5 milhões de doses necessárias para concluir a vacinação deste grupo.

A decisão foi tomada porque está previsto que o Instituto Butantan e a Fiocruz vão conseguir entregar mais doses nas próximas semanas. Segundo o ministério da saúde, a capacidade de produção aumentou devido à chegada do princípio ativo (IFA) importado.

"Com a liberação para aplicação de imediato de todo o estoque de vacinas guardadas nas secretarias municipais, vamos conseguir dobrar a aplicação esta semana, imunizando uma grande quantidade da população brasileira, salvando e protegendo mais vidas", disse o ministro.

Aumento de 40% nos vacinados

Até agora, 11,7 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19 no Brasil. Dessas, 4,1 milhões concluíram a vacinação, recebendo também a segunda dose.

Com mais de 5 milhões de pessoas, o número de vacinados com a primeira dose no Brasil vai subir mais de 40%. Pelas regras antigas, o número de imunizados com a primeira dose subiria cerca de 20%.

O ministério da Saúde afirmou que a medida já vinha sendo estudada há semanas. Com a confirmação da garantia das entregas das doses por parte da Fiocruz e do Instituto Butantan, foi possível tomar a decisão.

Das 5 milhões de novas doses que serão distribuídas pelo país, 3,99 milhões são da CoronaVac e 1 milhão da AstraZeneca.

As doses da CoronaVac serão destinadas a imunização de profissionais de saúde e idosos de 70 a 74 anos. Já o imunizante AstraZeneca será destinados a comunidades ribeirinhas e quilombolas.

Segundo dados da plataforma "Our World in Data", mais de 400 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas no mundo todo. Em números absolutos, o Brasil é o quinto que mais aplicou doses da vacina. O país tem a sexta maior população do mundo.

Já levando em conta a população, o Brasil está longe das primeiras posições — o país aplicou cerca de 6 doses a cada 100 habitantes. Já Israel, que lidera a lista, aplicou 110 doses a cada 100 habitantes (cada pessoa precisa tomar duas doses da vacina, exceto o imunizante desenvolvido pela Johnson & Johnson, que é de dose única). Os Estados Unidos, que aplicaram o maior número absoluto de doses, registram 33 doses a cada 100 habitantes.

*Com informações da Agência Brasil

Saúde