PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Esse conteúdo é antigo

Consórcio Nordeste pede à Anvisa documentação que embasou veto a Sputnik V

Anvisa alegou que vacina Sputnik V poderia representar risco à saúde dos brasileiros - EFE/Csaba Krizsan
Anvisa alegou que vacina Sputnik V poderia representar risco à saúde dos brasileiros Imagem: EFE/Csaba Krizsan

Do UOL, em São Paulo

29/04/2021 16h43

O Consórcio Nordeste enviou ontem à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) um ofício por meio do qual solicita acesso à documentação que embasou o veto à importação da vacina russa contra a covid-19, Sputnik V.

O documento é direcionado ao diretor-presidente da agência, Antônio Barra Torres, e foi feito por meio da Procuradoria Geral do Estado da Bahia e foi assinado pela procuradora-chefe Bárbara Camardelli.

Na última segunda-feira (26), a Anvisa rejeitou o pedido de importação e uso da Sputnik V. Na ocasião, os diretores do órgão apontaram falta de documentação e possíveis riscos do imunizante à saúde.

Após a decisão, o Consórcio Nordeste, formado pelos governos dos nove estados da região, insistiu na aprovação da vacina. O consórcio tem um contrato de compra de 37 milhões de doses da vacina russa.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), deu entrevista à CNN Brasil na noite de ontem e questionou a decisão da Anvisa, lembrando que o imunizante já foi aprovado em pelo menos 62 países no mundo.

Saúde