PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Cidade do ES inicia vacinação de 18 a 49 anos com meia dose da Fiocruz

Projeto prevê aumentar a eficácia do imunizante contra o coronavírus - Governo do Rio Grande do Sul/Divulgação
Projeto prevê aumentar a eficácia do imunizante contra o coronavírus Imagem: Governo do Rio Grande do Sul/Divulgação

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

13/06/2021 11h00

Moradores voluntários da cidade de Viana (ES) começaram a se vacinar neste domingo (13) com meia dose do imunizante contra coronavírus produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Universidade de Oxford e o laboratório Astra Zeneca. Toda a população da cidade com idade de 18 a 49 anos poderá ser vacina - são 35 mil pessoas.

O projeto de pesquisa é baseado no fato de que a vacina da Fiocruz tem eficácia média de 62% quando é feita a dose padrão, de 0,5 mililitro. Mas, quando essa quantidade é reduzida à metade, o índice sobe para 90%, afirmou a professora e pesquisadora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) Valéria Valim.

Serão 35 pontos de vacinação de acordo com informações prestadas hoje pela prefeitura de Viana.

"Hoje, poderei receber minha dose de esperança", disse o prefeito Wanderson Bueno (Pode) ao apresentar o projeto Viana Vacinada, neste domingo (13). Ele tem 33 anos e não possui comorbidades.

Um representante do Ministério da Saúde, identificado apenas como Bartolomeu, afirmou no evento que a ideia é vacinar toda a população adulta é 49 anos hoje e na segunda-feira.

O reitor da Ufes, Paulo Vargas, disse que o projeto terá "avanços" no progresso da ciência e no combate à pandemia de covid-19. "Os efeitos contribuirão para enfrentarmos de forma mais adequada toda essa situação, que exige criatividade e, sobretudo, união de esforços, como estamos vendo aqui."

Estudo da Ufes tem o aval da OMS

A representante da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organização Pan-americana de Saúde (Opas) no Brasil, Socorro Grossi, disse que o estudo da Ufes tem o aval das entidade. "Juntos, vamos mudar o rumo dessa pandemia."

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) afirmou que mais de 5 bilhões de pessoas não possuem vacina no mundo. Com menos gasto de vacina e mais eficácia, moradores do Brasil e de países pobres poderão ser beneficiados.

O resultado dessa pesquisa poderá causar benefício sem tamanho para o mundo"
Renato Casagrande, governador do Espírito Santo

Mas ele reclamou da velocidade da vacinação no Brasil. Hoje, pouco mais de 10% da população recebeu as duas doses de imunizantes necessárias para se proteger contra a covid. "O Brasil deveria, neste momento, estar liderando a América, fornecendo vacinas para os países da América", disse o governador.

Casagrande citou a doação de imunizantes feita pelos Estados Unidos. Ele destacou que isso se tornou um instrumento de diplomacia no planeta.

Saúde