PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

'Não existe inocência nos donos da Prevent Senior', diz médico sanitarista

Colaboração para o UOL

16/09/2021 15h27

O médico sanitarista e ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina, disse hoje que não existe inocência nos donos da operadora de saúde Prevent Senior. Segundo ele, a empresa usou o "kit covid" como item de venda.

"Não existe nenhuma inocência nos donos da Prevent como não existe inocência nos donos de academia, hamburgueria, essas lojas de conveniência... Esses caras não estão a fim de insuflar o Bolsonaro, estão a fim de ganhar dinheiro", afirmou Vecina, em entrevista ao UOL News, na manhã desta quinta-feira (16).

Vecina também criticou a atitude do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em não querer tomar vacina. "Esse não é o primeiro mau exemplo que o presidente nos dá. Ele tem nos dado seguidos maus exemplos, é um colecionador de maus exemplos".

CPI ouve diretor da Prevent Senior

A CPI da Covid recebe hoje em depoimento o diretor executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, para que ele explique suposta pressão da empresa pelo uso do chamado "kit covid" em pacientes com coronavírus.

O kit é composto por medicamentos, como cloroquina, azitromicina e ivermectina, ineficazes contra a covid-19. O uso desses remédios foi estimulado de forma indiscriminada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao longo da pandemia, na contramão do que orienta a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Pedro Júnior obteve no STF (Supremo Tribunal Federal) o direito de ficar em silêncio em resposta a perguntas que possam incriminá-lo. O ministro da corte Ricardo Lewandovski, porém, não o dispensou de comparecer à comissão. Ele irá à CPI na condição de testemunha, o que implica assinar termo de compromisso de falar a verdade.