PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid: 136,6 milhões de brasileiros completam vacinação, 64% da população

Brasil conta com mais de 136,6 milhões de pessoas com vacinação completa contra a covid-19 - João Nogueira/Futura Press/Folhapress
Brasil conta com mais de 136,6 milhões de pessoas com vacinação completa contra a covid-19 Imagem: João Nogueira/Futura Press/Folhapress

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/12/2021 20h03

O Brasil chegou hoje à marca de 136,6 milhões de pessoas com vacinação completa contra a covid-19. Ao todo, 136.666.885 brasileiros receberam a segunda dose ou a dose única de imunizante, o que representa 64,07% da população nacional. O levantamento foi feito pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 26.097 pessoas tomaram a segunda dose. No mesmo período, foram vacinadas 43.179 pessoas com a de reforço.

Devido a uma correção nos dados de vacinação do Piauí e de Rondônia, o número de primeiras doses e de doses únicas aplicadas em todo o país nas últimas 24 horas ficaram negativos: -27.419 e -62, respectivamente.

Até o momento, 159.611.326 pessoas tomaram a primeira dose, o correspondente a 74,82% da população do país. O número de brasileiros que já receberam a dose de reforço chegou a 17.805.457

O estado de São Paulo conta com a maior parcela da população com vacinação completa: 76,17% de seus habitantes. Na sequência, estão Mato Grosso do Sul (70,53%), Rio Grande do Sul (69,12%), Santa Catarina (68,64%) e Paraná (67,42%).

Os paulistas também aparecem em primeiro lugar quanto à aplicação da primeira dose: 81,62% da população local. Santa Catarina (78,48%), Rio Grande do Sul (78,22%), Paraná (77,75%) e Minas Gerais (76,91%) vêm a seguir.

Não vacinados são 80% dos mortos e internados no Brasil

Oito em cada dez pessoas que morreram de covid-19 no Brasil não receberam nenhuma dose da vacina, revela levantamento feito a pedido do UOL pela Info Tracker, plataforma de dados da USP (Universidade de São Paulo) e da Unesp (Universidade Estadual Paulista). Desde março, quando a segunda dose do imunizante passou a ser aplicada entre os brasileiros, as mortes pela doença despencaram 94%.

Entre 1º março e 15 de novembro deste ano, 306.050 pessoas morreram de covid no Brasil. Em 79,7% dos casos (243 mil), as vítimas não haviam tomado nenhuma dose da vacina. O número despenca para 32 mil (10,7%) entre aqueles que morreram após completar o ciclo vacinal e para 29 mil (9,7%) entre os que tomaram apenas uma dose.

O número de óbitos no mês de outubro entre vacinados (3.293) superou o de não vacinados (2.000). Essa diferença pode passar a impressão equivocada de que dá no mesmo se imunizar ou não, diz um dos coordenadores da Info Tracker, o professor da Unesp Wallace Casaca.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, g1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde