Facebook colabora com França sobre morte de casal de policiais

Washington, 15 Jun 2016 (AFP) - O Facebook garantiu nesta terça-feira que ajudará as autoridades francesas em relação ao assassinato de um casal de policiais nos arredores de Paris, cujo agressor exibiu imagens "ao vivo" do crime.

"Estamos trabalhando estreitamente com as autoridades francesas em torno deste terrível crime", informou o Facebook sobre a morte do oficial da polícia Jean-Baptiste Salvaing, 42 anos, e sua mulher, Jessica Schneider, 36.

O assassino, um francês de 25 anos, postou o vídeo minutos após os assassinatos, no qual aparentemente lê uma mensagem escrita previamente.

Schneider foi degolada dentro da casa onde vivia com Salvaing, diante do filho do casal, de três anos.

"Os terroristas e os atos de terrorismo não têm lugar no Facebook. Sempre que um conteúdo terrorista chegar aqui, vamos apagá-lo o mais rápido possível".

O agressor, que disse pertencer ao grupo Estado Islâmico (EI), foi morto pela polícia após o ataque, mas o vídeo do crime acabou no Facebook Live, uma nova ferramenta que permite a qualquer usuário transmitir um evento "a vivo".

"Trabalhamos duro para encontrar o equilíbrio adequado entre permitir a livre expressão e proporcionar conteúdos seguros e respeitosos. Estamos profundamente comprometidos em melhorar o manejo de conteúdos para evitar que "violem nossas normas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos