Ministro britânico adverte que Brexit seria irreversível

Uma saída do Reino Unido da União Europeia (UE) seria "irreversível", advertiu nesta segunda-feira o ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Philip Hammond, que admitiu que o resultado da "batalha do referendo será muito apertado".

"A mensagem que estamos tentando passar à população britânica é que esta é uma decisão irreversível. Se eles decidirem sair, não haverá retorno", disse Hammond antes de uma reunião dos chefes da diplomacia europeia em Luxemburgo.

"O Reino Unido nunca poderá reingressar na UE em uma data posterior, exceto com condições que seriam inaceitáveis, como adesão ao euro, adesão ao espaço Schengen" (de livre circulação de pessoas), completou o chefe do Foreign Office.

Hammond reiterou a mensagem do primeiro-ministro David Cammeron a respeito do referendo da próxima quinta-feira: "Está claro que o melhor interesse do Reino Unido está em permanecer na UE".

De acordo com o ministro, "a batalha do referendo (...) será muito apertada. O resultado será muito apertado, para qualquer lado".

O chefe da diplomacia francesa, Jean-Marc Ayrault, pediu aos britânicos que tenham em mente o "grande desafio histórico" da consulta.

"Nossa história nos remete a uma grande vida em comum, a tragédias, mas também a tantas esperanças. E a decisão do povo britânico será importante para ele, mas também para a Europa", destacou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos