Obama critica autoridades chinesas após incidente em aeroporto

Hangzhou, China, 4 Set 2016 (AFP) - O presidente Barack Obama destacou neste domingo as diferenças entre China e Estados Unidos em relação aos direitos humanos e à liberdade de imprensa, em resposta ao incidente ocorrido na véspera com os serviços de segurança chineses.

"É importante que a imprensa tenha acesso ao trabalho que estamos fazendo, que tenha a possibilidade de fazer perguntas", declarou o presidente depois do incidente registrado no aeroporto de Hangzhou entre um agente chinês e a imprensa credenciada pela Casa Branca.

"Não deixamos para trás nossos valores e nossos ideais quando viajamos", acrescentou, ressaltando que não hesitava em falar de temas que não agradam seus anfitriões chineses.

"Quando abordo temas como o dos direitos humanos, ocorrem certas tensões que talvez não aconteçam quando o presidente Xi se reúne com outros líderes", explicou.

Após o pouso do avião presidencial Air Force One, um agente chinês impediu a imprensa americana de aguardar o desembarque do presidente sob uma das asas do Boeing 747.

Um responsável da Casa Branca interveio, então, indicando ao agente que se tratava de um avião americano e do presidente dos Estados Unidos. O agente chinês respondeu em inglês: "Este é nosso país, é nosso aeroporto!".

O agente também tentou impedir a conselheira para a Segurança Nacional, Susan Rice, de se aproximar do presidente. Avançou sobre ela quando Rice tentou passar por baixo do cordão que delimitava o espaço reservado para a passagem de Obama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos