Tunisianos protestam contra retorno de compatriotas extremistas

Tunes, 24 dez 2016 (AFP) - Centenas de tunisianos protestaram neste sábado no parlamento nacional contra um eventual retorno ao país de seus compatriotas extremistas.

A Tunísia tem mais de 5.000 cidadãos nas fileiras de organizações extremistas fora do país, especialmente no Iraque, na Síria e na Líbia, segundo o grupo de trabalho da ONU sobre a utilização de mercenários, e seu retorno ao país suscita grandes temores.

Convocados por um colectivo composto principalmente por organizações não governamentais, a manifestação reuniu cerca de 1.500 pessoas, segundo os organizadores.

"Não ao retorno" dos extremistas, podia ser lido nos cartazes.

O protesto acontece poucas semanas depois de declarações do presidente tunisiano Béji Caid Essebsi sobre os radicais.

"Muitos deles querem voltar, e não se pode impedir um tunisiano de regressar ao país. Mas, evidentemente, estaremos alerta", declarou no dia 2 de dezembro à AFP.

Após as críticas na mídia tunisiana e nas redes sociais, Essebsi esclareceu, no dia 15 de dezembro na televisão pública, que o governo não seria "indulgente com os terroristas", e que a uma parte dessas pessoas seria aplicada a lei antiterrorista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos