PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Para Conselho de Segurança, eleição curda é potencialmente desestabilizadora

21/09/2017 21h18

Nações Unidas, Estados Unidos, 22 Set 2017 (AFP) - O Conselho de Segurança das Nações Unidas advertiu nesta quinta-feira que o referendo de independência organizado no Curdistão iraquiano é potencialmente desestabilizador e pediu que se estabeleça um diálogo.

Em um comunicado acordado por unanimidade, os 15 países-membros do corpo executivo das Nações Unidas declaram que o referendo planejado para a segunda-feira pode afetar os esforços para favorecer o retorno dos refugiados a seus lares.

"Os membros do Conselho expressam seu apoio contínuo à soberania, à integridade territorial e à unidade do Iraque". Por isso, pedem que seja resolvido "todo problema entre o governo federal e o governo regional do Curdistão no contexto da Constituição iraquiana, através de um diálogo estruturado e compromissos apoiados pela comunidade internacional", afirma o texto.

"Os membros do Conselho de Segurança expressam seu apoio total aos esforços da ONU para facilitar o diálogo entre as partes iraquianas envolvidas", conclui o comunicado.

Irã e Turquia também se opõem a essa consulta porque temem que ela incentive suas próprias minorias curdas a seguir o exemplo iraquiano.

A oposição da Turquia à independência do Curdistão iraquiano poderia dificultar a viabilidade de um possível Estado curdo, já que esta região do norte do Iraque obtém a maior parte de suas receitas de exportação de petróleo através de um oleoduto que desemboca no porto turco de Ceyhan.

O Curdistão iraquiano se tornou um dos principais mercados de exportação para a Turquia e os produtos turcos abundam nas principais cidades desta região.

Internacional