Partido Social-Democrata disposto a "conversar" para retirar Alemanha da crise

Berlim, 24 Nov 2017 (AFP) - A direção do Partido Social-Democrata da Alemanha informou que está aberta a conversas para tentar retirar o país da atual crise política, abandonando assim a oposição à ideia de uma aliança com a chanceler conservadora Angela Merkel.

"O SPD está convencido de que é necessário conversar, o SPD não ficará fechado à discussão", afirmou o secretário-geral do partido, Hubertus Heil, após oito horas de reunião dos líderes sociais-democratas com o presidente do movimento, Martin Schulz.

Até agora, Schulz havia rejeitado categoricamente a ideia de prolongar a aliança entre seu partido e os conservadores de Merkel após as eleições legislativas de setembro, marcadas pela derrota do SPD, apesar das dificuldades do país para formar um novo governo.

O partido parecia decidido a apoiar a opção pela convocação de novas eleições.

Mas a pressão cresce dentro do partido por uma mudança de postura, sobretudo desde que o presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, também social-democrata, afirmou que deseja evitar novas eleições e pediu a colaboração de todos os partidos.

Steinmeier se reuniu na quinta-feira com Schulz para abordar o tema.

"O SPD não pode se comportar como um menino mal-humorado em seu canto", afirmou um dos pesos pesados do partido, o atual ministro da Justiça, Heiko Maas.

Outras vozes do SPD se pronunciaram a favor de apoiar um governo de minoria liderado pelos conservadores, uma opção que Merkel rejeita atualmente, como permite a Constituição alemã, para não ter que "buscar maioria para cada decisão".

ylf-dac/acc/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos