China expressa grande preocupação com teste de míssil e pede negociações

Pequim, 29 Nov 2017 (AFP) - A China expressou nesta quarta-feira "grande preocupação" após o novo lançamento de míssil balístico realizado pela Coreia do Norte, ao mesmo tempo que pediu a Pyongyang e Washington que retomem as negociações.

Geng Shuang, porta-voz do ministério das Relações Exteriores, declarou que a proposta chinesa de uma "dupla moratória" continua sendo a melhor opção para aplacar a tensão.

Este plano consiste na suspensão dos testes nucleares e balísticos de Pyongyang e das manobras militares entre Estados Unidos e Coreia do Sul, o que Washington não aceita.

A Coreia do Norte lançou um míssil balístico intercontinental (ICBM) que caiu no mar do Japão. O país justifica sua política militar com a alegação de que precisa proteger-se dos Estados Unidos.

O líder norte-coreano Kim Jong-Un afirmou que, com o teste, o país se tornou um Estado nuclear com capacidade para atingir todo o território continental dos Estados Unidos.

"Exortamos firmemente a Coreia do Norte a respeitar as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e a deter qualquer ação que aumente a tensão na península coreana", disse Geng Shuang.

"Ao mesmo tempo, esperamos que todas as partes envolvidas possam atuar com prudência e trabalhar em comum acordo pela paz e a estabilidade da região".

O teste norte-coreano é um desafio ao presidente americano Donald Trump.

A China, principal respaldo econômico e diplomático da vizinha Coreia do Norte, afirma aplicar estritamente as novas sanções internacionais decretadas pelo Conselho de Segurança da ONU.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos