PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Francesa Total é condenada a pagar 500 mil euros por corrupção no Irã

21/12/2018 14h02

Paris, 21 dez 2018 (AFP) - A gigante francesa Total foi condenada, nesta sexta-feira (21), em Paris, a uma multa de 500 mil euros por "corrupção de um agente público estrangeiro" durante a negociação de um grande contrato de exploração de gás no Irã em 1997.

Entre 2000 e 2004, a Total chegou a pagar 30 milhões de dólares em subornos a intermediários para conseguir um contrato para explorar o campo de gás de South Pars, no Golfo Pérsico, enquanto Teerã estava sujeito ao embargo dos Estados Unidos.

Durante a longa investigação do caso, o ex-presidente da empresa, Christophe de Margerie, e um dos intermediários iranianos morreram.

Outro intermediário iraniano, Abbas Yazdi, está supostamente morto. Na ausência de uma certidão de óbito, porém, o tribunal condenou-o a quatro anos de prisão.

A investigação foi aberta em 2006 na França e se concentrou em dois contratos: o do campo de South Pars, assinado em 1997, no valor de 2 bilhões de dólares; e um anterior, de julho de 1995, para explorar os campos petrolíferos iranianos de Sirri A e E, também no Golfo.

Após a entrada em vigor de uma nova lei anticorrupção na França, porém, a Total foi julgada apenas pelas comissões ilegais pagas depois de 2000.

A companhia petrolífera também é suspeita de ter pago 60 milhões de dólares em subornos, entre 1995 e 2004, através de intermediários e de uma empresa fantasma, a Baston Limited, a um filho do ex-presidente Ali Rafsanjani, sob supostos contratos de consultoria.

A Total já pagou 398 milhões de dólares aos Estados Unidos em 2013 por esse escândalo. Agora afirma que o acordo com as autoridades americanas proíbe comentários sobre o mérito do assunto.

jmo/blb/bma/jz/eg/mr/tt

Internacional