PUBLICIDADE
Topo

Onda polar ameaça norte dos EUA e provoca fechamento de escolas e comércios

29/01/2019 19h58

Chicago, 29 Jan 2019 (AFP) - O norte dos Estados Unidos está sendo afetado por uma perigosa onda polar que nesta terça-feira (29) chegou a temperaturas de -50°C, levando à declaração de emergência em algumas regiões e provocando o fechamento de escolas, escritórios do governo e comércios.

Em quase uma dezena de estados, as previsões anunciam as temperaturas mais baixas em uma geração, e que inclusive poderiam bater novos recordes.

Segundo o Serviço Meteorológico Nacional (NWS, sigla em inglês), o termômetro do aeroporto de Minneapolis-Saint Paul marcou -32 graus Celsius à 00H25 locais.

Uma massa de ar ártico se desprendeu do vórtice polar que habitualmente rodeia o Polo Norte, provocando a onda polar.

"Uma massa de ar frio recorde continuará entrando para o centro e norte dos Estados Unidos, estendendo-se para a costa leste na terça-feira", disse a NWS.

Michigan e Wisconsin declararam a emergência ante o avanço das temperaturas glaciares.

As autoridades pediram à população que tente ficar em casa nesta quarta-feira, quando se espera que as temperaturas sejam ainda mais baixas. Muitas escolas, comércios e agências do governo anunciaram seu fechamento em vários estados.

"As pessoas expostas ao frio extremo podem congelar em questão de minutos", alertou o NWS.

O presidente Donald Trump aproveitou a ocasião para expressar seu ceticismo em relação ao aquecimento global: "Que diabos está acontecendo com o aquecimento global? Por favor volte rápido, precisamos de você!".

"As tempestades de inverno não provam que o aquecimento global não esteja acontecendo", tuitou a Administração Oceânica e Atmosférica (NOAA), encarregada do serviço meteorológico, junto com um desenho que ilustra que o aumento das temperaturas dos oceanos foi responsável por estes episódios de frio extremo.

Os cientistas consideram que a mudança climática está causando temperaturas extremas. Uma teoria é que as correntes de ar ártico que habitualmente circundam o Polo Norte perderam força e se movem para o norte ou para o sul devido ao aquecimento global.