PUBLICIDADE
Topo

Presidente da África do Sul pede fim do feminicídio e de atitudes sexistas

"Nossa mensagem para aqueles que abusam das mulheres tem sido clara: não há lugar para vocês", disse Cyril Ramaphosa - Sumaya Hisham/Reuters
"Nossa mensagem para aqueles que abusam das mulheres tem sido clara: não há lugar para vocês", disse Cyril Ramaphosa Imagem: Sumaya Hisham/Reuters

25/11/2019 15h33

Joanesburgo, 25 Nov 2019 (AFP) - O presidente sul-africano Cyril Ramaphosa lançou nesta segunda-feira (25) uma campanha para conter o feminicídio e os ataques contra as mulheres, pedindo aos homens que mudem suas "atitudes sexistas e patriarcais".

A mentalidade sexista alimenta a violência de gênero na África do Sul, que já tem a reputação de ser um dos lugares mais perigosos do mundo para mulheres, disse ele.

"Na raiz da violência de gênero estão as atitudes sexistas e patriarcais", disse Ramaphosa, lançando uma campanha anual de 16 dias contra a violência.

"Nossa mensagem para aqueles que abusam das mulheres tem sido clara: não há lugar em nossa sociedade para vocês", disse Ramaphosa.

As estatísticas mostram que uma mulher é morta a cada três horas na África do Sul e, a cada dia, 137 crimes sexuais são cometidos.

Nos últimos meses, houve uma onda de protestos contra a violência de gênero, provocada por uma série de assassinatos chocantes.

Internacional