PUBLICIDADE
Topo

Companhias aéreas suspendem voos para a China por novo coronavírus

29/01/2020 20h07

Paris, 29 Jan 2020 (AFP) - British Airways e Lufthansa anunciaram nesta quarta-feira (29) a suspensão de todos os seus voos para a China continental, somando-se às companhias que já haviam decidido suspender ou modificar seus programas de voo devido à epidemia do novo coronavírus que afeta o país asiático.

Segue uma visão geral das companhias aéreas que suspenderam e reduziram seus voos para a China.

- Voos suspensos -BRITISH AIRWAYS: A companhia britânica anunciou nesta quarta-feira a suspensão imediata de todos os seus voos para a China continental. A decisão foi tomada depois que autoridades do Reino Unido recomendaram que seus cidadãos evitassem viajar para o país asiático.

Em situações normais, a British Airways oferece voos diários que conectam Londres a Pequim e Xangai.

IBERIA: A empresa espanhola decidiu cancelar temporariamente seus voos com Xangai.

LUFTHANSA: A empresa de bandeira alemã cancelou nesta quarta todos os seus voos com a China. O grupo Lufthansa opera cerca de dez voos diários tendo o país asiático como origem ou destino.

LION AIR: A companhia aérea indonésia anunciou que suspenderá seus voos para a China a partir de 1º de fevereiro.

Esta empresa, que possui a maior frota do sudeste da Ásia, e sua filial Batik Air, oferecem voos para 15 cidades chinesas. Um milhão de turistas chineses viajam para a Indonésia todos os anos.

MIANMAR: Três companhias birmanesas - Myanmar National Airlines, a Air KBZ e a Myanmar Airways International - com voos para a China, anunciaram a suspensão dos serviços a partir de 1º de fevereiro.

CAZAQUISTÃO: As autoridades do Cazaquistão ordenaram nesta quarta-feira a suspensão dos voos para China a partir de 3 de fevereiro, de acordo com um comunicado do governo que não indicava por quanto tempo essa medida vai durar. O governo suspendeu também o tráfego de ônibus e trens para a China.

UKRAINE INTERNATIONAL AIRLINES e SKYUP AIRLINES anunciaram a suspensão de todos os seus voos para a China até 28 de março.

AIR AUSTRAL: suspendeu seus voos entre a Ilha Reunião (território francês no Oceano Índico) e Cantão (China) de 8 de fevereiro a 1º de março.

URAL AIRLINES: a empresa russa, que efetua conexões para Munique, Paris e Roma, cancelou seus voos com destino a Europa, muito utilizados em viagens com ponto de partida a China.

- Menos voos -AIR FRANCE: A empresa francesa justificou com uma redução de demanda a diminuição de seus voos para Pequim e Xangai saindo de Paris. Assim como as outras empresas, ela suspendeu os voos para Wuhan, epicentro da epidemia, desde 24 de janeiro.

KLM: a companhia holandesa suspenderá a partir de quinta-feira seus voos para Chengdu e Hangzhou e reduzirá o número de voos semanais rumo a Xangai. A partir de sexta, a KLM vai suspender o serviço para a cidade de Xiamen em voo direto, como sua parceira a Air France, devido à uma redução da demanda.

UNITED AIRLINES: A companhia americana anunciou na terça-feira a suspensão de alguns de seus voos para Pequim, Xangai e até Hong Kong entre 1º e 8 de fevereiro. As autoridades dos Estados Unidos recomendaram que seus cidadãos não viagem para a China no momento.

A AMERICAN AIRLINES interrompeu igualmente seus voos, em virtude da "baixa significativa da demanda" entre Los Angeles e Xangai e Xangai e Pequim de 9 de fevereiro a 27 de março. Os voos de Dallas/Fort Worth rumo a Pequim e Xangai serão mantidos.

DELTA: reduziu à metade pelo número de voos, para 21 semanais, a partir de 6 de fevereio e até 30 de abril, mas mantém os serviços de conexões atuais. Serão 3 ou 4 voos para Pequim de Detroit por semana e 3 ou 4 voos semanais para Xangai a partir de Atlanta, Detroit, Los Angeles e Seattle.

CATHAY PACIFIC: A companhia aérea, que tem sua base principal no Aeroporto Internacional de Hong King, afirmou que "reduzirá gradualmente" seus voos de e para a China continental em pelo menos 50%. Esta decisão entrará em vigor na quinta-feira e ficará regente até o final de março.

FINNAIR: A companhia aérea finlandesa, que multiplicou seus voos para a Ásia nos últimos anos, suspenderá alguns de seus voos, mas manterá os que se destinam a Pequim, Xangai, Hong Kong e Guanghzu.

Esta decisão é explicada pela suspensão, por parte de Pequim, de viagens organizadas na China e no exterior.

- Nenhuma mudança -SAS: A companhia aérea sueca, que oferece voos para Pequim e Xangai uma vez por semana, não suspendeu seus voos, mas diz que está "acompanhando de perto os acontecimentos".

VIRGIN ATLANTIC: Mantém seus voos entre os aeroportos de Heathrow, em Londres, e Xangai.

AIR ALGERIE: Nenhum cancelamento previsto.

bur-pid/meb/zm/age/mb/jvb/mvv/lca

DEUTSCHE LUFTHANSA AG

IAG - INTERNATIONAL CONSOLIDATED AIRLINES GROUP

Notícias