PUBLICIDADE
Topo

Como o coronavírus invadiu hospital de Wuhan e contaminou médicos

07/02/2020 20h53

Washington, 7 Fev 2020 (AFP) - Quarenta funcionários da equipe médica do Hospital Universitário de Zhongnan, na cidade chinesa de Wuhan, foram contaminados com o novo coronavírus em janeiro, segundo um estudo publicado hojeque confirma a vulnerabilidade dos trabalhadores de saúde ao vírus.

Um paciente que deu entrada no departamento de cirurgia com dor abdominal infectou dez trabalhadores da saúde. Dezessete pessoas que foram hospitalizadas por outros motivos também se infectaram com o novo coronavírus durante sua estadia no centro de saúde.

No total, 41% dos 138 casos de pessoas tratadas do coronavírus neste hospital entre 1º e 28 de janeiro contraíram a doença no próprio estabelecimento.

O estudo foi publicado horas depois da morte do oftalmologista de Wuhan que foi punido por soar o alerta no fim de dezembro sobre a epidemia emergente. O doutor Li Wenliang, de 34 anos, teria sido infectado por um de seus pacientes.

No hospital de Zhongnan, funcionários das unidades de cuidados gerais representava a maioria dos casos de infectados (31 de 40), seguidos dos das unidades de urgência e cuidados intensivos.

Um paciente contaminou outros três que estavam na mesma unidade, onde recebiam tratamento por dor abdominal.

O exemplo do paciente que infectou sozinho dez pessoas é uma amostra dos riscos do hospital na primeira fase da epidemia quando, em média, estima-se atualmente que uma pessoa infectada contamine outras 2,2.

"Se for verdadeiro, isto confirma que alguns pacientes provavelmente são mais contagiosos que outros, o que cria novas dificuldades para a gestão dos casos", disse o médico Michael Head, da Universidade de Southampton, por meio do The Science Media Center.

Um alto funcionário do governo chinês admitiu ontem que o pessoal médico carecia de máscaras e macacões para se proteger.

Saúde