PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump promete enviar mais agentes federais a cidades governadas por democratas

Presidente dos EUA, Donald Trump, em Washington - JONATHAN ERNST
Presidente dos EUA, Donald Trump, em Washington Imagem: JONATHAN ERNST

em Washington (EUA)

20/07/2020 22h50

O presidente americano, Donald Trump, prometeu hoje enviar forças de segurança federais a grandes cidades governadas pela oposição democrata, como Chicago e Nova York, após a controversa mobilização destes agentes em Portland, no noroeste do país.

"Teremos mais forças de segurança federais. Em Portland fizeram um trabalho fantástico", disse o presidente à imprensa, à margem de um encontro com congressistas na Casa Branca. "Em três dias puseram um montão de anarquistas na prisão", acrescentou.

Agentes federais foram enviados na semana passada a esta cidade do Oregon para deter protestos contra a violência policial e o racismo, marcadas por episódios violentos.

Mas as autoridades locais democratas pediram a saída destas forças federais ao considerar que pioraram a situação ao invés de resolver os problemas.

Trump, que aposta na firmeza ante os protestos para conseguir um segundo mandato nas eleições presidenciais de 3 de novembro, acusa as autoridades de Portland de indulgência e promete estender a mesma receita a outras cidades.

"Não vamos abandonar Nova York, Chicago, Filadélfia, Detroit e Baltimore", declarou, acusando os democratas que governam estas cidades de ser membros da "esquerda radical".

O republicano disse que a situação de Chicago, onde os tiroteios aumentaram nas últimas semanas, "é pior do que no Afeganistão", um país devastado por décadas de guerra.

Segundo Trump, se o seu adversário democrata nas presidenciais, Joe Biden, chegar à Casa Branca, esta situação se estenderá a todo o território americano. "O país iria para o inferno!", disse.

Gretchen Whitmer, governadora de Michigan, onde fica Detroit, denunciou "uma retórica de ódio" do presidente.

"Não há nenhum motivo para que o presidente envie tropas federais a uma cidade onde as pessoas pedem reformas pacífica e respeitosamente", disse a governadora em um comunicado.

Desde a morte de George Floyd, um cidadão afro-americano asfixiado por um policial branco em 25 de maio em Minneapolis, os Estados Unidos vivem uma onda de protestos sem precedentes desde o movimento de luta pelos direitos civis nos anos 1960.

Embora a mobilização tenha diminuído, várias cidades continuam sendo cenário de protestos esporádicos, onde foram registrados distúrbios em várias ocasiões.

Internacional