PUBLICIDADE
Topo

Peru prorroga estado de emergência nacional pela pandemia de covid-19

27/01/2021 20h32

Lima, 27 Jan 2021 (AFP) - O Peru prorrogou até 28 de fevereiro o estado de emergência que vigora há dez meses devido à pandemia do novo coronavírus, segundo um decreto publicado nesta quarta-feira (27) no Diário Oficial.

A prorrogação da medida, que expirou em 31 de janeiro, ocorre no momento em que o país sofre com uma segunda onda de covid-19 que levou os hospitais ao colapso e obrigou o governo a confinar metade da população a partir do próximo domingo.

A decisão visa "evitar o movimento de pessoas e as aglomerações para controlar os contágios, porque apesar dos esforços chegamos a uma situação limite em departamentos de risco extremo", afirmou a chefe de gabinete, Violeta Bermúdez, em conferência de imprensa.

Tanto a capital, Lima, quanto outras oito regiões do país estão na categoria de alerta mais alto da pandemia no Peru.

A regra especial permite ao governo restringir as liberdades públicas, como circular em qualquer parte do território ou organizar encontros sociais durante o novo confinamento de 31 de janeiro a 14 de fevereiro em um terço do país.

A quarentena será obrigatória e afetará 16,4 milhões de habitantes, metade da população do país.

As pessoas que moram nessas regiões só poderão sair de casa uma hora por dia.

O governo também ordenou o fechamento de igrejas, cassinos e academias. Apenas negócios essenciais, como mercados, farmácias e bancos, poderão operar.

O fechamento dessas atividades econômicas, a princípio por 15 dias, afetará negativamente o PIB do Peru em fevereiro, mas "continuamos com a perspectiva de crescer 10% este ano", disse o ministro da Economia, Waldo Mendoza.

Como medida paliativa diante do impacto econômico para o setor privado, Mendoza disse que será adiado o pagamento de diversos impostos.

Para ajudar as famílias mais pobres, também foi anunciada uma ajuda de cerca de 167 dólares para 4,2 milhões de famílias peruanas.

Nas demais regiões ficam mantidas as restrições de toque de recolher e a proibição de confraternizações, entre outras medidas.

A segunda onda atinge várias regiões peruanas desde o início de janeiro, após as festas de Natal e final de ano.

As infecções diárias aumentaram de mil para mais de cinco mil e as mortes dispararam de uma média de 40 por dia para mais de cem.

O governo também estendeu a proibição de voos procedentes da Europa até 14 de fevereiro e incluiu o Brasil na lista devido à nova cepa do coronavírus descoberta no país.

O Peru ultrapassou 40.000 mortes por covid-19 na terça-feira após registrar 220 óbitos nas últimas 24 horas, número que não havia sido registrado desde o pior momento da doença entre julho e setembro.

As infecções totalizam 1,1 milhão desde o início da pandemia, em março.

ljc/tly/jc/mvv/jc/am