PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

'É hora para uma desescalada' em Mianmar, diz embaixador chinês na ONU

10/03/2021 21h45

Nações Unidas, Estados Unidos, 11 Mar 2021 (AFP) - A China acredita que "é hora para uma desescalada" em Mianmar e para dialogar, disse o embaixador chinês na ONU depois que o Conselho de Segurança aprovou pela primeira vez uma declaração condenando a junta militar birmanesa.

"É hora para diplomacia", afirmou Zhang Jun em um comunicado, dizendo que a China participou de "maneira construtiva" da negociação de seis horas da declaração redigida pelo Reino Unido.

"É importante que os membros do Conselho falem com uma só voz. Esperamos que a mensagem do Conselho leve a uma situação melhor em Mianmar", declarou.

"A comunidade internacional deve criar um ambiente propício que permita às partes envolvidas em Mianmar resolver suas diferenças em âmbito constitucional e jurídico", disse ele.

Segundo o diplomata, a China apoia os esforços diplomáticos e de mediação da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e da emissária da ONU em Mianmar, Christine Schraner Burgener.

"A China está disposta a se envolver e se comunicar com as partes e desempenhar um papel construtivo para atenuar a situação atual", acrescentou.

Horas antes, o Conselho de Segurança da ONU disse que "condena veementemente a violência contra manifestantes pacíficos" em Mianmar em uma declaração aprovada por unanimidade.

O texto critica fortemente os militares de um modo sem precedentes e urge as partes a "buscarem uma solução pacífica" para a crise causada pelo golpe de 1º de fevereiro contra o governo da presidente Aung San Suu Kyi.

O Conselho de Segurança "se declara profundamente preocupado com as restrições impostas ao pessoal médico, sociedade civil, sindicalistas, jornalistas e profissionais da mídia e pede a libertação imediata de todos os que foram detidos arbitrariamente", indica o pronunciamento redigido pelo Reino Unido.

prh/cjc/gm/lda/ic/mvv