PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Mais de 40 milhões receberam uma dose de vacina anticovid na França

Vacinação avança na França após anúncio do passe sanitário, que exigirá vacinação completa para entrada em cinemas, discotecas e outros estabelecimentos - Reprodução/RFI
Vacinação avança na França após anúncio do passe sanitário, que exigirá vacinação completa para entrada em cinemas, discotecas e outros estabelecimentos Imagem: Reprodução/RFI

26/07/2021 07h51Atualizada em 26/07/2021 09h08

O número de pessoas na França que receberam pelo menos uma dose de vacina contra a covid-19 passou de 40 milhões - anunciou o presidente Emmanuel Macron nesta segunda-feira (26).

Depois da vacinação de quatro milhões de pessoas nas últimas duas semanas, quase 60% da população está agora parcial, ou completamente, imunizada, tuitou Macron durante visita oficial à Polinésia Francesa.

"Todos juntos derrotaremos o vírus. Adiante!", afirmou.

Em torno de 33,2 milhões de pessoas na França, quase metade de sua população, estão 100% vacinadas, disse o Ministério da Saúde nesta segunda.

Este anúncio chega um dia depois de o Parlamento francês aprovar o uso do passe sanitário como uma ferramenta para o dia a dia, na luta contra a covid-19.

Este certificado será exigido para a entrada em cinemas, discotecas, entre outros estabelecimentos. Para obter o passe, é necessário estar com o esquema de vacinação completo, ou apresentar um teste negativo para coronavírus.

Criada e adotada para aumentar o número de pessoas inoculadas, a medida gerou protestos no fim de semana. Mais de 160 mil manifestantes foram às ruas contra o passe sanitário.

Ao comentar as recentes manifestações, Macron chamou de "egoístas" e "irresponsáveis" as pessoas que se recusam a serem vacinadas.

No domingo (25), a França anunciou mais de 16.000 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, após quase 23.000 no sábado, um aumento causado pela variante Delta, mais contagiosa.

Mais de 111.000 pessoas morreram por covid-19 no país desde o início da pandemia.

Coronavírus