Conteúdo publicado há 1 mês

Partidos formalizam adesão a candidatura unitária contra Maduro na Venezuela

Partidos de oposição formalizaram nesta terça-feira (23) sua adesão à candidatura unitária do diplomata Edmundo González Urrutia para enfrentar o presidente Nicolás Maduro nas eleições do próximo dia 28 de julho na Venezuela, às vésperas do vencimento do prazo para o trâmite, em meio a denúncias de obstáculos.

O partido Un Nuevo Tiempo (UNT) se uniu à candidatura de González Urrutia, indicado pela principal aliança opositora, a Plataforma Unitaria Democrática (PUD), no lugar de María Corina Machado, favorita nas pesquisas, mas impedida de exercer cargos públicos.

UNT havia indicado Manuel Rosales, antigo rival do falecido Hugo Chávez, que se inscreveu no último minuto como uma opção unitária, mas não teve grande aceitação.

Representantes desse partido informaram na rede social X que "foram recebidos" pelas autoridades eleitorais, "entregando a renúncia" de Rosales à sua candidatura e "conseguindo a adesão" à candidatura de González.

"Cumprimos", publicou por sua vez no X o dirigente Simón Calzadilla, pertencente ao pequeno partido Movimiento Por Venezuela (MPV), que também havia apoiado Rosales, ao anunciar que esse partido "conseguiu se unir" à candidatura do embaixador.

González Urrutia, de 74 anos, não era a primeira opção da Plataforma Unitaria, mas sim a acadêmica Corina Yoris, indicada por Machado como sucessora. O diplomata, na verdade, foi inscrito de última hora após o bloqueio da plataforma de inscrição para Yoris.

Sua candidatura, inicialmente, era provisória até buscar um nome de consenso, mas foi ratificada na sexta-feira pela PUD.

UNT e MPV haviam denunciado obstáculos para formalizar seu apoio a González Urrutia. O prazo para mudanças de postulações nas cédulas eleitorais expirou no último sábado, mas a autoridade eleitoral o prorrogou por 72 horas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes