PGR denuncia Geddel e irmão por lavagem de dinheiro e associação criminosa

André Richter - Repórter da Agência Brasil

  • Facebook/Divulgação

    Irmãos Lúcio (à frente) e Geddel Vieira Lima (centro) juntos em foto de 2016, durante manifestação contra a corrupção

    Irmãos Lúcio (à frente) e Geddel Vieira Lima (centro) juntos em foto de 2016, durante manifestação contra a corrupção

A PGR (Procuradoria-Geral da República) denunciou nesta segunda-feira (4) ao STF (Supremo Tribunal Federal) o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o irmão dele, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. A investigação está relacionada à apreensão, pela Polícia Federal (PF), dos R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador.

Também foram denunciados pelos mesmos crimes a mãe de Geddel, Marluce Vieira Lima, e um ex-assessor do deputado, Job Brandão.

No Supremo, a denúncia será analisada pelo relator do caso na Corte, o ministro Edson Fachin.

Leia também:

Geddel foi preso no dia 8 de setembro, três dias depois que a PF (Polícia Federal) encontrou o dinheiro no apartamento de um amigo do político. Os valores apreendidos foram depositados em conta judicial.

Segundo relatório da Polícia Federal, parte do dinheiro seria resultante de um esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013, quando Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição.

Ainda de acordo com a PF, o dinheiro seria proveniente também de caixa dois de campanha e do desvio de dinheiro da Câmara dos Deputados, por meio da apropriação de parte do salário de um ex-assessor de Lúcio Vieira Lima.

Divulgação
Dinheiro encontrado pela PF e atribuído a Geddel Vieira Lima

A PF encontrou impressões digitais de Geddel e de um ex-assessor de Lúcio nos sacos plásticos que envolviam os maços de dinheiro, que somavam pouco mais de R$ 42 milhões e US$ 2,6 milhões.

O dono do apartamento, Silvio da Silveira, afirmou à Polícia Federal que entregou as chaves do imóvel a Lúcio, que teria pedido o imóvel emprestado com o argumento de que precisava guardar documentos da família.

A reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa de Geddel e dos demais denunciados.

* Com UOL

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos