Topo

Volume do sistema Alto Tietê cai para 7% em SP

Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo
A represa Biritiba-Mirim, que faz parte do sistema Alto Tietê Imagem: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

Em São Paulo

29/10/2014 10h22

O volume do sistema Alto Tietê caiu 0,2 ponto porcentual entre terça-feira (28) e esta quarta-feira (29). A capacidade, que estava em 7,2%, está agora em 7%, de acordo com o mais recente levantamento divulgado pela Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp). O Alto Tietê é o segundo maior manancial que abastece a Grande São Paulo e também caminha para o esgotamento.

A queda do volume armazenado acontece em meio a um pedido do Ministério Público Estadual para que a Justiça determine a redução da quantidade de água retirada do sistema. O Alto Tietê é usado desde o início do ano pela Sabesp para socorrer bairros atendidos pelo Sistema Cantareira. O Cantareira registrou queda de 0,1 ponto porcentual de terça para quarta, saindo de 12,8% para 12,7%.

Segundos os promotores, o objetivo da ação é que o Sistema Alto Tietê chegue ao final de abril de 2015, quando começa o próximo período de estiagem, com pelo menos 10% do seu volume útil. Na mesma data neste ano, o manancial estava com 36% da capacidade. Especialistas apontam que o sistema poderá secar em menos de dois meses.

A Justiça ainda não se pronunciou sobre o pedido do MPE. Em nota, a Sabesp havia informado que "cumpre o que determinam os órgãos reguladores" e que se "coloca à disposição" do MPE para "colaborar no esclarecimento sobre a gestão do sistema".