Solidariedade irá ao STF contra liberação de R$ 180 mi à publicidade federal

Em São Paulo

  • Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

    Paulinho da Força assina nota do partido

    Paulinho da Força assina nota do partido

O Partido Solidariedade entrará nesta sexta-feira (29), com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin), no Supremo Tribunal Federal (STF), com pedido de liminar cautelar contra a Medida Provisória (MP) 772, que abre crédito extraordinário de R$ 180 milhões a ser destinado à publicidade do governo federal. Em nota, o partido afirma que a verba será destinada "a fins pessoais e partidários".

"Diante deste momento sombrio, estamos nos deparando com todo tipo de práticas espúrias e ilícitas de nossos governantes, visando um único objetivo: a perpetuação do poder", destacou o partido, que também considera o uso de recursos um "flagrante desperdício de dinheiro público" num momento atípico pelo qual passa o país.

"Pasmem, a maior parte desta verba destinada à propaganda institucional de uma presidente que está prestes a deixar o poder por crime de responsabilidade", destaca a ação do SD. "O governo, de forma flagrante, está a utilizar a máquina pública para fins pessoais e partidários", complementa, em nota, o presidente nacional da legenda, deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos