Testemunha diz que PM fraudou tiroteio que matou universitário

Uma testemunha afirmou ter visto policiais militares plantarem uma arma no carro ocupado pelo estudante universitário Julio Cesar Alves Espinoza, de 24 anos.

O jovem foi morto na terça-feira, 28, no segundo caso de perseguição de forças de segurança que terminou em óbito na zona leste da capital paulista em menos de uma semana. Espinoza fugia de guardas-civis e de PMs.

A testemunha ouvida pelo Jornal Hoje, da Rede Globo, disse ter visto a sequência dos disparos sendo feitos apenas pelos policiais, sem reação da vítima. A Secretaria da Segurança Pública do Estado declarou que o caso está sob investigação.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos